Quase um terço dos brasileiros mudou de casa durante a pandemia

Compartilhar a notícia

Necessidade de mais espaço e reajuste do valor do aluguel motivaram migração, revela pesquisa da Loft

09 de junho de 2022

Atualizado: 27 de junho de 2022 3 min de leitura
No Rio de Janeiro, prédios próximos da orla da cidade

Infográficos: colaboração de Michele Louvores

A pandemia provocou um movimento de mudança de lares e fez com que cerca de um terço da população brasileira (28%) se mudasse, entre 2020 e 2022. Os dados são de um levantamento do Loft Dados, núcleo de disseminação de estudos da Loft.

A mudança, para a maior parte, aconteceu dentro da mesma cidade: 48% para um bairro diferente e 26% para o mesmo bairro. Os que mudaram de cidade ou país foram 26%.

Gráfico mostra que 28% dos brasileiros se mudaram durante a pandemia, a maior parte deles para outro bairro dentro da mesma cidade

O que levou o brasileiro a se mudar na pandemia?

Os principais motivos que levaram a esse movimento foram a necessidade de mais espaço (12%), reajuste no valor do aluguel (10%) e o desejo de morar mais perto da família e amigos (9%).

Gráfico mostra que a maior parte dos brasileiros que se mudaram foram em busca de mais espaço, seguidos daqueles que foram impactados pelo reajuste do aluguel

Em busca de mais qualidade de vida, 17% dos brasileiros se mudaram para locais mais próximos do emprego. Por outro lado, para 9% da população, a perda do emprego e uma consequente diminuição da renda forçaram esse movimento. Outros 8% aproveitaram que a ida ao escritório deixou de ser obrigatória para trabalhar de casa e, nessa toada, puderam escolher morar longe do emprego, realizando o sonho de uma casa na praia ou no campo, por exemplo.

Gráfico mostra que 17% das pessoas se mudaram para ficar mais perto do emprego e que 9% se mudaram porque perderam o emprego

A pesquisa também levantou o que as pessoas consideram ter melhorado com a mudança de lar. O conforto foi destaque para a maioria delas (63%), seguido de tamanho (60%) e proximidade com lazer (51%).

63% dos brasileiros relataram terem encontrado mais conforto com a mudança

Efeito da pandemia nos lares por classe social

A pandemia forçou a convivência nos lares no período do isolamento absoluto. Para 54% dos brasileiros, o relacionamento em casa melhorou. Para 34% deles ficou igual. Já para 11%, piorou.

Gráfico mostra como ficou o comportamento nos lares brasileiros por causa da pandemia

Em relação à situação financeira: para 42% ela se manteve igual, para 41% piorou e para 17% melhorou.

Para a maior parte dos brasileiros, o relacionamento dentro de casa melhorou com a pandemia. Já a situação financeira piorou para 41%

A pandemia e o lar como ambiente de trabalho

Com a orientação de evitar aglomerações, as empresas se reinventaram e muitas colocaram os funcionários para trabalhar de casa: 23% dos brasileiros passaram a trabalhar remotamente.

Gráfico mostra como o brasileiro se relacionou com o trabalho dentro de casa durante a pandemia. 23% passaram a trabalhar remotamente

Dentro dos lares, a maior parte dos brasileiros, 28%, está em home office, exercendo a função que tinha no escritório. Outras atividades desempenhadas em casa: 12% vendem roupas e acessórios, 12% cozinham para fora e 8% montaram bazares e brechós.

As principais atividades em casa são home office, venda de roupas, cozinhar para vender e bazares e brechós

“Por um lado, temos as famílias que passaram a estudar, trabalhar e ter momentos de lazer dentro de casa, e que, por isso, acabaram prestando mais atenção a esse ambiente. Pessoas que decidiram buscar moradias com cômodos maiores e mais bem divididos, para que fosse mais fácil separar os momentos de trabalho e lazer. Por outro lado, temos as famílias que perderam renda e não conseguiram arcar com o reajuste do valor do aluguel. Para essas pessoas, a mudança foi uma necessidade”, explica Fábio Takahashi, gerente de dados e de conteúdo da Loft.

Veja mais: artigo discute o que mudou dentro dos lares brasileiros com a pandemia

Mais sobre a pesquisa "O que mudou nos lares brasileiros em 2 anos de pandemia"

Pesquisa com amostra representativa da população brasileira, com 1.500 entrevistas, com pessoas de 18 anos ou mais de idade, residentes nas cinco regiões do Brasil e das classes A,B,C,D e E. As entrevistas ocorreram entre 28 de fevereiro a 3 de março de 2022 por meio de painel online. O levantamento foi aplicado pela Offerwise (empresa líder no segmento de insights na América Latina). A margem de erro é de 3 pontos percentuais

Coordenadora de vídeo do Portal Loft. Jornalista formada pela Cásper Líbero, trabalhou na Editora Globo e G1 antes de migrar para a televisão. Na TV Globo, onde atuou por 14 anos, fez apuração, produção, gravação e edição de hardnews e conteúdo especial para Jornal da Globo, SPTV, Hora Um e Globo Rural.

Deixe seu comentário

Veja também

emprestimo com garantia de imovel e pouco difundido no Brasil

Mercado imobiliário

01 de julho de 2022

Empréstimo com Garantia de Imóvel: saiba como funciona o crédito com juros baixos e prazos longos para pagar

taxa referencial Foto: Shutterstock

Mercado imobiliário

01 de julho de 2022

TR: O que é a Taxa Referencial e qual seu impacto nos contratos de financiamento imobiliário

sala cloffice escritoio armario banheiro lousa geek

Morar com estilo

01 de julho de 2022

Apartamento de 110 m² possui decoração geek, cloffice e banheiro camuflado

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.