Corretagem de imóveis: o que é e como definir o valor?

Compartilhar a notícia

Você quer saber qual é a taxa de corretagem aplicada sobre imóveis? Descubra detalhes sobre o valor e como determiná-lo!

20 de março de 2024

Autor Time Loft
Atualizado: 20 de março de 2024 6 min de leitura
Corretagem de imoveis

Você já deve ter se deparado com a corretagem de imóveis durante o processo de compra ou de venda imobiliária. A taxa paga ao corretor é um valor que pode ser significativo em relação ao preço do bem — portanto, é preciso ter bastante atenção a ele. 

Detalhes sobre a remuneração do profissional que faz o serviço de intermediação precisam ser esmiuçados. Esse conhecimento é particularmente importante para garantir comissões adequadas na operação, assegurando um bom negócio para todos os envolvidos.

A seguir, confira o que é a corretagem de imóveis e entenda como determinar a quantia!

O que é corretagem de imóveis? 

Corretagem de imóveis é a comissão que o corretor recebe pelo seu trabalho realizado durante a negociação de um bem imobiliário. A taxa é definida na Lei nº 10.406, o Código Civil, seguindo as diretrizes do capítulo XIII.

Desse modo, ela pode ser entendida como a remuneração paga ao profissional comprometido com a intermediação de negócios do setor. Entre as funções do corretor, ele atua na facilitação de transações de compra, venda ou aluguel de casas, edificações e outros imóveis.

A lei estabelece que a corretagem, se não for previamente definida, será determinada com base na natureza do negócio e nas práticas locais. Além disso, o valor é devido ao corretor assim que ele consegue o resultado esperado no contrato de mediação. 

Porém, o pagamento deve ser feito independentemente se o negócio for concluído ou não — por causa do arrependimento de uma ou ambas as partes, por exemplo. Por fim, se a transação for finalizada com a contribuição de mais de um corretor, a taxa de corretagem deverá ser dividida igualmente entre eles.

Entretanto, o Código Civil flexibiliza a regra em alguns casos. A lei determina que caso haja um acordo prévio em contrário, dividindo a remuneração em partes diferentes, ele deverá ser respeitado.

Quais são os tipos de corretagem? 

Após o entendimento sobre o termo, é hora de conhecer os dois tipos principais de corretagem no mercado imobiliário. Existem duas modalidades, sendo elas a taxa de corretagem fixa e variável.

O primeiro tipo trata sobre o pagamento de uma quantia fixa ao corretor, previamente estabelecida. Ela não varia de acordo com o valor da compra ou da venda do imóvel. Dessa forma, seja qual for o montante da transação, o profissional receberá a mesma remuneração.

Esse tipo de corretagem pode ocorrer, por exemplo, quando o intermediador é funcionário de uma empresa imobiliária. Contudo, é comum que ele ainda seja complementado por comissões, incentivando o desempenho e o alcance de resultados positivos pelo profissional.

O segundo formato é a corretagem variável. Nesse caso, o corretor de imóveis receberá pelos seus serviços com base em um percentual do valor total da negociação imobiliária. Portanto, quanto maior a quantia da transação, mais alta será a sua comissão. 

No geral, esse modelo também estimula os profissionais na busca por negócios mais substanciais, alinhando os seus interesses aos dos clientes. Além disso, ele é capaz de encorajar transações mais lucrativas para o intermediador.

A determinação entre taxa fixa ou variável depende, sobretudo, das práticas do corretor e do mercado. A negociação entre compradores e vendedores em conjunto ao corretor pode ser interessante para a definição de valores adequados para todos.

Anúncios

Qual a importância do corretor na compra e venda de imóveis? 

Agora você já aprendeu quais são os tipos de remuneração no setor imobiliário. Mas você sabe a importância do papel do profissional que faz a intermediação em negociações no segmento?

O intermediador é crucial na compra e venda de imóveis, atuando como um negociador qualificado. Ele ajuda os compradores a encontrar as propriedades ideais, entendendo as suas demandas como novo morador, investidor ou usuário do espaço.

Em relação aos vendedores, o profissional atua para alcançar um público adequado ao negócio. Para isso, ele usa a sua rede de contatos e técnicas profissionais a fim de localizar as pessoas e empresas que tenham interesse e capacidade de compra para efetuar a transação.

Além disso, o corretor é capacitado a fornecer informações valiosas sobre o mercado, orientando na definição de preços adequados e auxiliando a transação como um todo. A sua experiência e conhecimento legal e burocrático são fundamentais para garantir transações seguras e eficientes. 

Desse modo, o profissional está habilitado a simplificar o processo e a economizar tempo. Para completar, ele assegura que as transações imobiliárias ocorram de maneira satisfatória para todas as partes envolvidas.

Como definir a taxa de corretagem? 

Você pôde conferir que o corretor é muito importante para o mercado, tanto do ponto de vista de quem compra quanto daqueles que vendem imóveis. Mas ainda é preciso entender como a corretagem pode ser definida, garantindo uma remuneração adequada ao intermediador, certo?

Antes de tudo, a formação da taxa é moldada principalmente por três fatores-chave: 

  • tipo de negociação;
  • valor do imóvel;
  • práticas locais. 

Uma venda residencial ou o aluguel de um galpão comercial, por exemplo, demandam abordagens e expertises distintas do profissional. Logo, o tipo de negociação varia em complexidade e afeta a taxa. A tendência é que quanto mais difícil e burocrático for o processo, maior seja o valor da corretagem. 

O preço do imóvel, por sua vez, é crucial à formação da quantia a ser paga — especialmente, em comissões variáveis. Além disso, as práticas locais estabelecem diretrizes específicas e padrões éticos, influenciando não apenas a remuneração, mas também as expectativas dos clientes. 

Se você quiser saber a comissão de corretagem exata, pode ser mais fácil consultar o Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI). A entidade local regulamenta a profissão de corretor e fornece diretrizes sobre a remuneração, entre outras questões relacionadas ao setor.

Um ponto de atenção é que os acordos precisam ser dispostos em um contrato para que todos os envolvidos na transação estejam cientes sobre as taxas e condições negociadas, combinado? O documento deve detalhar a forma como a comissão será calculada e paga, oferecendo segurança ao corretor e ao cliente.

Como você aprendeu, a corretagem de imóveis envolve a definição entre comissão fixa e variável do corretor, e a consulta ao CRECI para orientações específicas sobre a taxa. Lembre-se de que o contrato é essencial para evitar transtornos, garantindo transações transparentes e bem-sucedidas.

Bateu aquela dúvida na matéria que você leu? Deixe nos comentários que o Time Loft responde!

Deixe seu comentário

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.