Loft bloqueia 60 corretores por suspeita de fraude em corretagem

Compartilhar a notícia

Startup criou programa para evitar a 'venda por fora', prática em que corretores ou vendedores burlam o pagamento da corretagem para a empresa ou imobiliárias parceiras

14 de junho de 2023

Atualizado: 21 de julho de 2023 3 min de leitura
  • Lançado há seis meses, sistema antifraude da startup imobiliária Loft afastou mais de 60 corretores suspeitos de tentarem burlar o pagamento da corretagem;
  • Em 65% desses casos, os corretores passaram a negociar diretamente com os clientes, após começarem o contato por meio da plataforma da Loft;
  • Nos demais 35% dos casos, a fraude começou numa etapa anterior. O corretor fez agendamento de uma visita, apenas para ter acesso ao contato do proprietário e seguir as tratativas fora da plataforma;
  • Em outra modalidade de bypass, o sistema já fez com que vendedor pagasse corretagem para corretor, depois de retirá-lo indevidamente das negociações;
  • Sistema conta com canal de denúncias e cruzamento de dados para identificar os casos de fraude; 
  • Com metodologia conservadora, estudo da empresa estima que em ao menos 4% das transações de imóveis de alta demanda na cidade haja a ‘venda por fora’, seja por clientes-vendedores, seja por corretores.

O Grupo Loft, startup que atua em parceria com as imobiliárias e usa novas tecnologias para facilitar a compra, a venda, o financiamento e o aluguel sem fiador, afastou 60 corretores suspeitos de tentar fraudar o pagamento da corretagem à empresa ou às imobiliárias parceiras.

Em 65% desses casos, os corretores passaram a negociar diretamente com os clientes, após começarem o contato por meio da plataforma da Loft e intermediarem uma visita. Nos demais 35% dos casos, a fraude ocorreu numa etapa anterior –os corretores fizeram agendamentos para visitas a imóveis à venda apenas para terem acesso ao contato do proprietário e seguirem as tratativas fora da plataforma.

Os corretores tiveram suas contas com a startup suspensas (não conseguem mais operar na plataforma da Loft ou fazer novos agendamentos de clientes) –90% dos casos foram em São Paulo, o restante no Rio de Janeiro. 

Esses casos suspeitos foram detectados pelo sistema antifraude lançado pela Loft em novembro, que utiliza análise de dados e um canal de denúncias para identificar más práticas. 

Com metodologia conservadora, estudo da empresa estima que em ao menos 4% das transações de imóveis de alta demanda na cidade haja a ‘venda por fora’, seja por clientes-vendedores, seja por corretores.

No mês passado o sistema conseguiu recuperar a primeira corretagem que indevidamente não havia sido paga. Naquele caso quem cometeu o bypass foi um cliente-vendedor de São Paulo, que depois de conhecer o interessado via plataforma da Loft e corretor parceiro, seguiu a negociação diretamente com o comprador. 

Após análise massiva de transações feitas na cidade, a startup identificou que o imóvel, localizado na zona leste, havia sido vendido justamente para uma pessoa que havia visitado o apartamento a partir do anúncio na Loft. Contatado pela empresa, o cliente-vendedor reconheceu a fraude e aceitou pagar a corretagem para o corretor. Outras três corretagens foram recuperadas desde então.

“Criamos um sistema minucioso, que identifica más práticas de diferentes agentes e em diferentes momentos da jornada, para dar mais segurança à grande maioria das pessoas que atua de forma correta nesse mercado”, afirmou o diretor de Compliance da Loft, João Melhado. “Queremos assegurar, para quem faz negócio com a gente, que o processo será justo e limpo.” 

A análise massiva de dados tem priorizado as transações feitas pelas imobiliárias parceiras que utilizam o marketplace da Loft. Atualmente, a empresa analisa 80 casos suspeitos. 

Tags

Comentários

Celio Pervelli

Por favor, gostaria de agendar uma visita como corretor parceiro. como faço??

Guilherme Cavassani

Celio, tudo bem? Por favor, entre em contato pelo alocorretor@loft.com.br.

Deixe seu comentário

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.