Dívida de cartão de crédito: 7 dicas para sair do vermelho

Compartilhar a notícia

08 de dezembro de 2023

Autor Time Loft
Atualizado: 08 de dezembro de 2023 7 min de leitura
Divida de cartao de credito

Apesar de comprar no cartão ser bem prático, é preciso ter cuidado com essa forma de pagamento. Afinal, você pode acabar se comprometendo com uma dívida de cartão de crédito, deixando as suas contas no vermelho.

Caso já esteja nessa situação, saiba que você não é o único. De acordo com dados da Serasa Experian, em julho de 2023, o Brasil apresentava cerca de 71,41 milhões de inadimplentes, ou seja, um terço da população não conseguiu pagar o valor da fatura do cartão. A boa notícia é que, com planejamento, você pode se livrar das dívidas e recuperar a tranquilidade financeira.

Neste post, você conhecerá 7 dicas de como lidar com a dívida de cartão de crédito e sair do vermelho.

Acompanhe!

1. Organize as dívidas

O primeiro passo para melhorar as finanças e evitar o endividamento é organizar as dívidas. Para isso, você deve listar todos os seus gastos para ter uma visão geral da sua situação. Assim, inclua o saldo atual, a taxa de juros, a data de vencimento e o valor mínimo do pagamento.

Também é válido criar uma planilha com todas as suas receitas e despesas e dividi-las entre variáveis, fixas e semivariáveis. Veja só:

  • gastos fixos: são aqueles em que o valor não muda, independentemente do mês. Alguns exemplos são internet, aluguel, mensalidade de algum curso de graduação, serviços por assinatura, entre outros;
  • gastos variáveis: são todas as despesas que podem variar com certa regularidade, como idas a restaurantes, compras de cosméticos, pedidos de delivery e mais;
  • gastos semivariáveis: são aqueles custos que ocorrem todos os meses, mas o valor pode mudar conforme o uso, como água, energia elétrica, telefone, supermercado e outros.

Com a planilha em mãos, é possível ter uma noção maior de todas as suas despesas, o que o ajuda a entender se os gastos são maiores que as receitas, por exemplo. Outra dica é analisar os custos do cartão para verificar em qual setor você tem mais gastos.

2. Corte gastos desnecessários

A partir da montagem da planilha, você deve analisar os seus gastos supérfluos e tentar evitá-los ao longo dos meses. Ao eliminar as despesas desnecessárias, você não apenas diminui a chance de acumular dívidas, como libera recursos para investir e economizar.

Nesse caso, separe as despesas essenciais das não essenciais para facilitar o processo. Por exemplo, tente rever as suas assinaturas mensais, como serviços de streaming ou aplicativos de clube de assinatura. Cancelar aqueles que você não usa com regularidade pode ajudá-lo a economizar.

Porém, lembre-se de que excluir gastos que geram entretenimento para você e sua família exige atenção, já que os momentos de lazer também são relevantes. Por essa razão, o ideal é fazer essa análise com bastante cuidado, para que ela ajude a eliminar as dívidas do cartão de crédito, mas sem tantos impactos no cotidiano.

Anúncios

3. Evite novas compras parceladas

Após verificar os seus gastos, o próximo passo é evitar novas compras parceladas, principalmente durante o período em que você estiver eliminando as dívidas. A medida parece uma facilidade, já que permite que você compre um item e pague-o aos poucos.

Contudo, comprometer seu orçamento com parcelas a perder de vista pode causar um descontrole financeiro. Antes de realizar a compra, analise se você necessita do produto ou serviço que está adquirindo ou se a aquisição pode ser adiada.

Caso a compra seja realmente importante, pergunte ao estabelecimento sobre os termos de parcelamento. Nesse caso, descubra qual é o valor das parcelas, quantas serão necessárias e se há algum custo adicional, como juros. 

4. Reduza o limite do cartão de crédito

Muitas vezes, o limite do cartão de crédito é superior à sua renda mensal. Logo, gastar até o limite do cartão de crédito pode ser uma armadilha para o endividamento. Para evitar o endividamento ou o agravamento da situação, o ideal é ter crédito compatível com os gastos que você pode realizar.

Uma opção é reduzir o limite do cartão concedido pela instituição, de modo a limitar a quantia disponível para gastos. Isso evita o impulso de fazer compras desnecessárias ou gastar além da sua capacidade. 

Ainda, com um limite de crédito menor, fica mais difícil acumular dívidas, pois você garante que não usará o cartão acima do que o seu orçamento possibilita. 

Caso você tenha muitos cartões, considere cancelar alguns deles para evitar o impulso de comprar sem necessidade. Uma boa dica, nesse caso, é dar preferência para manter um cartão com benefícios e sem anuidade. Assim, você passa a gastar menos dessa forma e ainda aproveita vantagens.

5. Faça uma renda extra

Outra prática relevante para sair de vez da dívida de cartão de crédito é encontrar maneiras de aumentar a sua renda, caso seja possível. O dinheiro extra pode ser valioso no momento de pagar as dívidas e ter um controle maior do seu orçamento.

Nesse sentido, existem diversas opções que você pode considerar. Algumas alternativas são:

  • venda doces e salgados;
  • oferta de aulas particulares;
  • atuação como freelancer;
  • revenda de produtos;
  • opções de renda extra online.

Para tanto, analise quais são as suas habilidades e aptidões e escolha a alternativa que melhor atenda às suas preferências. E tenha em mente que esse valor extra deve ser destinado ao pagamento de dívidas — e não para fazer novas compras, por exemplo.

6. Estabeleça metas de pagamento

Estabelecer metas de pagamento é fundamental para se livrar das dívidas de cartão de crédito de maneira organizada. Após analisar todos os seus gastos mensais, tente classificar as dívidas em ordem decrescente com base na taxa de juros.

A ideia é priorizar aquelas com a taxa de juros mais alta — como a pendência do cartão de crédito —, já que elas têm maior impacto no orçamento. Também é necessário definir metas claras para o pagamento da dívida.

Por exemplo, você pode estabelecer um objetivo de pagar determinada quantia extra por mês para reduzir os custos do cartão. Outra possibilidade é trocar uma dívida cara por outra mais barata. Verifique se existem linhas de crédito disponíveis que possam ajudar a quitar o cartão.

Como esse tipo de débito tem juros elevados, os empréstimos podem ter taxas maias atrativas, facilitando a organização financeira para que você saia do vermelho. 

7. Negocie com os credores

Depois de organizar todas essas informações, procure entrar em contato com os credores para discutir opções de pagamento. Nesse momento, é essencial manifestar o seu interesse em fazer um acordo para quitar as dívidas pendentes.

A medida costuma trazer oportunidades de negociar o pagamento de maneira mais vantajosa — por exemplo, com descontos nos juros. É comum que as instituições financeiras tenham abertura para esse tipo de negociação. Porém, só faça um acordo se você tiver a certeza de que conseguirá pagar, certo?

Neste conteúdo, você conferiu 7 dicas para sair da dívida de cartão de crédito e ter mais saúde financeira. Agora, chegou o momento de colocar em prática os conhecimentos adquiridos em seu dia a dia para evitar novos endividamentos e ter uma vida mais leve.

Essas informações foram úteis? Compartilhe o conteúdo nas redes sociais e ajude seus amigos a saírem do vermelho!

Bateu aquela dúvida na matéria que você leu? Deixe nos comentários que o Time Loft responde!

Tags

Deixe seu comentário

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.