O que é o Sistema de Amortização SAC e como funciona

Compartilhar a notícia

Sistema de Amortização Constante (SAC) costuma representar economia no total do valor pago ao longo do financiamento, mas exige uma disponibilidade de capital maior no início do processo.

22 de agosto de 2022

Autor Time Loft
Atualizado: 11 de setembro de 2023 4 min de leitura
imoveis-alta-sistema-de-amortizacao-constante

Começar pagando mais, mas ter uma economia ao final do financiamento ou ter parcelas fixas e pagar mais juros? Essa é uma pergunta básica quando se analisa o Sistema de Amortização Constante (SAC) e os seus principais concorrentes, como a Tabela Price. Entender como esse sistema funciona e adequar ao seu momento de vida e seu planejamento financeiro é uma decisão importante que vai influenciar todo o seu financiamento imobiliário.

O que é Sistema de Amortização Constante?

O sistema SAC é um sistema de amortização de empréstimo onde, como o próprio nome diz, o valor abatido do total financiado é o mesmo em todas as parcelas. Isso quer dizer que todos os meses o cliente irá reduzir o saldo devedor de forma proporcional. Por esse motivo as parcelas começam maiores e vão reduzindo ao longo do tempo até o término do contrato.

Isso acontece porque o valor da parcela do financiamento é formada pelo valor amortizado mais os juros sobre o restante do valor financiado. Como no sistema SAC o valor amortizado é fixo, com o tempo o valor sobre o qual os juros incidem vai diminuindo, o que leva à redução da parcela. Na comparação com outros sistemas, isso gera parcelas iniciais mais altas, normalmente e num momento em que quem faz o financiamento costuma ter outros custos significativos.

“A principal desvantagem é a de que o devedor inicia um financiamento com uma parcela em média 30% maior do que o da Tabela Price, por exemplo. E geralmente esse é um momento em que o cliente pode estar com um orçamento apertado, já que existem diversos gastos no momento da aquisição, como taxas de cartório, ITBI (ou ITIV, a depender da sua região), parcela do sinal, mudança, obras e decoração”, destaca Paulo.

Amortização SAC vale a pena?

Além das características do SAC e dos outros sistemas disponíveis, a decisão passa por uma análise da situação financeira de cada cliente e até por fatores externos, como outras oportunidades de investimento. “É uma escolha muito particular e pessoal pois, como o financiamento de imóvel tem taxas baixas, existe um custo de oportunidade que o tomador do crédito poderia estar empregando em outras coisas com maior retorno, como investimentos financeiros ou empresariais”, afirma Paulo.

Além desses fatores, existem questões bem pessoais que também influenciam a decisão. Paulo explica que “do ponto de vista, digamos, psicológico, pensando naqueles clientes mais conservadores e que gostam de ter o imóvel 100% quitado logo, o SAC propicia isso de forma mais rápida, então esse tipo de cliente deve preferir esse sistema”.

Anúncios

Diferenças entre sistema de amortização SAC e Tabela Price

Sistema SAC

Enquanto o SAC faz o cliente pagar menos no final, mas exige uma disponibilidade de capital mais alta no início do processo, a Tabela Price, sua principal concorrente, oferece parcelas fixas do começo ao fim. Essa característica também pode ajudar a conseguir um valor financiado maior.

Tabela Price

“A Tabela Price é mais indicada para quem quer ter uma parcela inicial menor, para não comprometer tanto o orçamento doméstico. Isso também é uma maneira de conseguir aprovar um valor de financiamento maior, pois os bancos avaliam a capacidade de pagamento da parcela. Por ela ser menor que a SAC, um cliente pode ter uma aprovação de crédito maior na Price”, destaca Paulo.

Benefícios dos sistemas de amortização

Por mais importante que seja a escolha do sistema de amortização, existem outros fatores que exercem alto impacto no financiamento. “Para além da opção entre SAC ou Price, eu diria que o principal ponto de atenção para o cliente são as demais condições do contrato, como taxa de juros, tarifas, seguro obrigatório e, principalmente, o índice de correção”, destaca Paulo, que ainda faz um alerta. “Recentemente, surgiram algumas linhas no mercado em que a correção se dá por indicadores que são imprevisíveis, como o IPCA e a Poupança. Elas podem fazer com que o saldo devedor e, consequentemente, a parcela aumentem muito ao longo do tempo”.

Parcelas fixas ou decrescentes, taxa de juros, valor total a ser pago, índice de correção e até perfil psicológico: são muitos fatores a serem considerados antes de escolher o sistema de amortização. Por isso é importante buscar informações e entender qual delas melhor se encaixa no seu momento de vida para acertar na decisão.

Colaboração de Michele Louvores

Bateu aquela dúvida na matéria que você leu? Deixe nos comentários que o Time Loft responde!

Tags

Comentários

Emily

sensacional pra quem esta começando no mercado imobiliário essas informações são bem interessantes e bem simplificados bem explicados, e ajudou muito..

Deixe seu comentário

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.