Como compor renda para financiar um imóvel?

Compartilhar a notícia

Financiar um imóvel pode ser desafiador. Nesse contexto, compor renda pode ser uma estratégia vantajosa. Descubra como fazer isso!

22 de dezembro de 2023

Autor Time Loft
Atualizado: 26 de dezembro de 2023 6 min de leitura
como compor renda para financiar um imóvel.

O sonho da casa própria acompanha muitos desde a juventude. Imagine ter um espaço só seu, decorado exatamente como você deseja — um refúgio em que memórias são criadas e histórias são contadas. Tentador, não é?

Entretanto, a jornada para tornar esse desejo realidade muitas vezes apresenta obstáculos. É aqui que entra a habilidade de compor renda para financiar uma casa ou apartamento. Ela pode ser uma ferramenta estratégica para alcançar seu objetivo.

Continue a leitura para entender como compor renda para um financiamento imobiliário!

O que é composição de renda para o financiamento de um imóvel?

Compor renda envolve somar os ganhos de duas ou mais pessoas. O objetivo é aumentar o poder de compra ou a capacidade de financiamento ao adquirir um imóvel. A estratégia é usada para superar os limites de crédito individuais e ter aprovação para financiar imóveis mais caros. 

Saiba mais!

Como funciona?

Imagine que, de forma individual, você possa financiar um apartamento de até R$ 300 mil com base em seus ganhos. Contudo, se você deseja adquirir uma propriedade de R$ 500 mil, é possível não conseguir a aprovação com base na mesma remuneração.

Nesse ponto, a composição de renda para financiamento imobiliário entra em cena. Você pode somar seus ganhos com os de um parceiro, cônjuge ou outro membro da família. Dessa forma, a capacidade conjunta de financiamento pode atingir ou até superar o valor desejado de R$ 500 mil.

Anúncios

Por que compor renda?

Além de permitir o acesso a imóveis de maior valor, a composição de renda pode facilitar a aprovação do crédito. Isso porque instituições financeiras analisam o risco de inadimplência. Então, quando há mais de uma fonte de remuneração, a análise pode ser mais favorável.

Há algum ponto de atenção?

Ao compor renda, todas as partes envolvidas passam a ser corresponsáveis pelo pagamento das prestações do financiamento. Isso significa que, em caso de atrasos ou inadimplências, todos os envolvidos são afetados.

Portanto, essa estratégia é valiosa para quem deseja aumentar sua capacidade de financiamento e adquirir um imóvel. No entanto, é essencial fazer isso de forma consciente. Logo, considere todas as responsabilidades compartilhadas, combinado?

O que é preciso para compor renda no financiamento imobiliário?

Você já entendeu o conceito de composição de renda. Agora é preciso demonstrar que, com essa estratégia, você alcança uma remuneração compatível com o valor da prestação. 

Acompanhe os passos e critérios fundamentais para esse processo!

Verifique as regras de financiamento da instituição

Cada instituição financeira tem seus próprios critérios e regulamentos quando se trata de financiamento imobiliário. Além das taxas de juros e prazos de pagamento, verifique as especificidades relacionadas à composição de renda.

Algumas instituições permitem a inclusão de cônjuges, pais, outros membros da família e até amigos. Já outras podem ser mais restritivas. Portanto, informar-se adequadamente pode fazer a diferença entre ter seu financiamento aprovado ou não.

Escolha com responsabilidade as pessoas que comporão renda

Todos os envolvidos estarão legalmente ligados ao financiamento. Por isso, é importante que você selecione pessoas de confiança, com quem compartilha os mesmos objetivos. Ademais, em caso de inadimplência, todos os envolvidos serão afetados.

Atente às formas de como comprovar renda

A comprovação de renda é uma das etapas cruciais do financiamento. Afinal, a instituição financeira precisa ter certeza de sua capacidade de pagamento. Há diversas maneiras de comprovar renda: holerites, declaração de Imposto de Renda (IR) e extratos bancários, entre outras.

Além de suas remunerações fixas, podem ser consideradas as variáveis, os aluguéis e até mesmo ganhos como freelancer, dependendo da instituição. No entanto, as informações fornecidas devem ser precisas e verídicas, pois qualquer discrepância pode resultar em uma negativa.

Ademais, procure se organizar com antecedência. Os documentos necessários não são difíceis de serem obtidos, mas é recomendável se planejar para evitar surpresas de última hora.

Como conseguir os recursos necessários para o financiamento?

Sabendo o que é necessário para compor renda, você pode estar pensando no que poderia fazer para potencializá-la. Mesmo usando esse recurso, adquirir um imóvel próprio costuma representar um desafio, não é mesmo?

Então confira algumas dicas para auxiliar nesse contexto!

Renegocie dívidas existentes

Antes de assumir um compromisso tão grande quanto um financiamento imobiliário, é fundamental estar com as finanças em dia. Procure renegociar dívidas e compromissos anteriores para garantir uma melhor análise de crédito.

Use o FGTS

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é uma opção valiosa para quem deseja financiar uma casa ou apartamento. Ao usar o FGTS na entrada, você pode reduzir o montante financiado e, por consequência, o valor das parcelas.

Além disso, em alguns casos, é possível utilizar o fundo para amortizar o saldo devedor ou pagar parte das prestações. Vale ressaltar que o uso do FGTS está atrelado a condições específicas. Por exemplo, é necessário ter pelo menos três anos de contribuição, consecutivos ou não.

Ainda, o imóvel deve estar localizado no seu município de residência ou onde você trabalha. Você também não pode ser proprietário de outro imóvel nesses locais nem possuir outro financiamento ativo pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH). 

Busque uma renda extra

Se sua remuneração principal não é suficiente para o financiamento desejado, considere buscar fontes adicionais. Freelances, consultorias, trabalhos temporários ou até mesmo pequenos negócios podem incrementar seu orçamento e facilitar a aprovação.

Considere ter um fiador

Algumas instituições financeiras aceitam a figura do fiador no processo de financiamento. Essa é uma pessoa que se compromete a assumir a dívida, caso o titular não consiga honrar com as prestações.

A medida pode melhorar as condições e fazer com que o custo se encaixe na sua faixa de renda. No entanto, é crucial escolher alguém de confiança e que tenha uma boa condição financeira.

Venda bens desnecessários

Uma estratégia eficaz para ampliar o valor da entrada e diminuir o do financiamento é vender itens que você não utiliza mais. Desde carros até eletrodomésticos, transformar bens em dinheiro pode ser uma forma de aliviar o comprometimento de renda.

Contudo, vale lembrar que cada situação é única. Portanto, avalie todas as alternativas disponíveis e considere suas necessidades e prioridades. Ainda, escolha as estratégias que mais se alinham ao seu perfil e objetivos, ok?

Entender como compor renda é fundamental para quem quer conquistar um imóvel próprio, em especial em um contexto de financiamento. Como você viu, há diversas estratégias e ferramentas para auxiliar nesse processo.

Uma alternativa interessante para quem busca crédito é o home equity. Saiba mais sobre essa modalidade e faça uma simulação online.

Bateu aquela dúvida na matéria que você leu? Deixe nos comentários que o Time Loft responde!

Tags

Deixe seu comentário

Veja também

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.