ESG: o que é e seu impacto no mercado imobiliário

Compartilhar a notícia

O ESG é um conceito que está tomando conta do mercado e promete se tornar essencial para o futuro dos negócios.

20 de março de 2024

Autor Time Loft
Atualizado: 20 de março de 2024 8 min de leitura
esg e o mercado imobiliario

O mercado imobiliário está em constante evolução e não apenas em relação a tecnologia, mas também sobre as questões socioambientais. Nesse cenário, o conceito ESG está se difundindo e cada vez mais inserido nas atividades deste segmento.

Sendo assim, o ESG consiste em práticas que têm o objetivo de tornar as atividades econômicas conscientes, reduzindo os impactos sociais e ambientais — um conceito importante e que contribui para gerar negócios responsáveis, que não focam apenas em ter lucros.

Neste post, você vai entender tudo sobre o ESG, o que é, qual o significado de cada pilar e outras informações relevantes sobre o assunto. Continue lendo e entenda como as práticas em ESG estão impactando no mercado imobiliário e nas suas atividades!

Afinal, o que é o conceito ESG?

O ESG é o acrônimo para os termos em inglês Environmental, Social and Governamental, expressão que, em tradução livre, significa Ambiental, Social e Governança — pilares considerados os grandes direcionadores da estratégia em um negócio.

Nesse sentido, o conceito ESG surgiu em 2005 no Who Cares Wins, relatório obtido por uma iniciativa da ONU – Organização das Nações Unidas. Trata-se de uma reunião que reuniu 20 instituições financeiras de todo o mundo para estabelecer diretrizes e incluir questões socioambientais no mercado.

Diante disso, o ESG é um conceito que promove a implementação de práticas que reduzem os impactos sociais, ambientais e de governança. Um fator que está em pauta, inclusive no mercado imobiliário, e contribui para melhorar a relação com as partes interessadas e potencializar resultados.

Qual o significado de cada pilar?

Como vimos no tópico anterior, o ESG é constituído por 3 princípios, que são as questões ambientais, sociais e de governança corporativa. Sendo assim, cada pilar, como também são chamados, direcionam as metodologias e práticas para a implementação da estratégia.

O primeiro passo para compreender como o ESG funciona é saber detalhadamente quais as diretrizes de cada pilar. Dessa forma, é possível identificar oportunidades e se comprometer com a melhoria contínua em cada aspecto abordado nos pilares.

Veja a seguir, qual o significado de cada princípio do ESG!

Anúncios

Environmental – Ambiental

O pilar ambiental, ou environmental, consiste em práticas voltadas para a preservação do meio ambiente e recursos naturais. São ações que visam promover a sustentabilidade e uma atuação responsável, que não provoque impactos ambientais significativos.

Trata-se de um conjunto de boas práticas que demonstram a responsabilidade ambiental do negócio, por exemplo:

  • regularidade legal;
  • gestão de resíduos sólidos eficiente;
  • gestão correta de efluentes;
  • uso de energias renováveis;
  • redução da emissões atmosféricas;
  • uso de sistemas de coleta e reaproveitamento da água da chuva;
  • uso consciente dos recursos naturais;
  • práticas de sustentabilidade nas construções.

Em vista disso, as boas práticas para o pilar ambiental são aplicadas de acordo com as atividades do negócio. No entanto, devem ser inseridas de forma consistente e com comprometimento com resultados ambientais, que realmente eliminam impactos severos.

Social – Social

As questões sociais também são relevantes, por isso, o pilar social compreende todas as ações desenvolvidas para promover o bem-estar social. Basicamente, é a forma e práticas adotadas pelo negócio em relação aos funcionários, clientes e a sociedade no geral.

No pilar social são abordadas ações importantes, por exemplo:

  • garantia dos direitos humanos;
  • diversidade da equipe;
  • inclusão social;
  • boas políticas de trabalho;
  • proteção de dados confidenciais;
  • relação com a sociedade;
  • relacionamento humanizado com funcionários;
  • satisfação de todos clientes.

Nesse contexto, a pauta social tem um peso significativo no desempenho e resultados do negócio, por se tratar das relações humanas. Por esse motivo, é um assunto constantemente avaliado por clientes e negociações, inclusive, pelos investidores.

Governance – Governança

Por sua vez, o pilar governança está diretamente relacionado com a qualidade da gestão e administração empresarial. Portanto, são um conjunto de ações adotadas para garantir um bom clima organizacional, objetivos claros e um gerenciamento eficiente.

Em vista disso, algumas das práticas do pilar governança são:

  • realização periódica de auditorias fiscais.
  • presença de um canal de denúncias;
  • diversidade no conselho;
  • Independência financeira;
  • relação com órgãos públicos;
  • remuneração dos executivos;
  • transparência e ética.

A governança é uma pauta que envolve questões administrativas e gerenciais, principalmente relacionadas com a alta gestão. Em outras palavras, é a conduta corporativa, políticas internas e cultura, critérios considerados imprescindíveis para o sucesso.

Como o ESG funciona na prática?

O objetivo de um negócio que foca no ESG é aperfeiçoar todas as atividades e melhorar as relações internas, ambientais e com a sociedade. Nesse sentido, é um processo sistemático e aplicado por meio de metodologias e ações bem planejadas.

Sendo assim, o ESG funciona por meio de um conjunto de boas práticas implementadas em uma empresa com foco nos 3 grandes pilares – que são os princípios ambientais, sociais e de governança, gerando responsabilidade e consciência corporativa.

Desse modo, o ESG é implementado por meio da adoção consistente das boas práticas compreendidas em cada pilar. Por isso, é um processo que acontece de forma individualizada, ou seja, de acordo com o segmento, atividades, objetivos e particularidade de cada negócio.

Apesar do ESG ser um conceito desenvolvido no mercado financeiro e de investimentos, ele está cada vez mais difundido em todos os setores. Especialmente pelos benefícios que proporciona, melhorando o desempenho, relações comerciais e pessoais.

Como o ESG impacta no mercado imobiliário?

O ESG se tornou uma tendência no Brasil e vem influenciando a atuação dos negócios, proporcionando grandes benefícios. No setor imobiliário não é diferente, e o entendimento e aplicabilidade dos princípios ESG é uma realidade em muitas construtoras.

Esse cenário é motivado pela crescente pressão do mercado, governo e sociedade, para promover o desenvolvimento sustentável. Por isso, construtoras e incorporadoras têm priorizado iniciativas para reduzir os impactos socioambientais e manter bons relacionamentos.

Além de afetar o setor construtivo, o ESG também vai impactar diretamente nas atividades das imobiliárias. Principalmente nos aspectos relacionados às relações sociais e comercialização de imóveis construídos sem impactos ambientais e com foco na sustentabilidade.

A mudança dos hábitos de consumo e nível de exigência dos clientes tornam o ESG um requisito necessário no mercado imobiliário. Com isso, será preciso ir além de vender ou alugar imóveis, mas mudar a cultura e mentalidade para atuar com consciência e responsabilidade socioambiental.

Nesse sentido, negócios imobiliários que adotarem os princípios ESG terão maiores oportunidades para fechar parcerias, seja para investimentos ou vendas. Afinal, a relação social, regularidade legal, governança corporativa bem estabelecida e sustentabilidade são a base para o sucesso.

Quais as estratégias para aplicar o ESG?

A evolução do mercado acontece de forma rápida e exige atenção dos gestores imobiliários, para promover adaptações e evitar perder espaço no mercado. Nesse contexto, os princípios ESG são tendências reais e considerá-las é imprescindível para toda imobiliária que deseja crescer.  

Em outras palavras, o ESG é algo que promete tomar conta do mercado em curto prazo, portanto, se preparar para ele é essencial — sobretudo, para sair na frente dos concorrentes e aplicar inovações capazes de melhorar as relações socioambientais e manter bons resultados.

Entretanto, o processo para aplicar o ESG deve acontecer com muito planejamento e metodologias definitivas. Afinal, mesmo levando a algum resultado, as ações isoladas não tornam uma imobiliária adequada aos preceitos ESG, é preciso detalhar todos os pilares.

Para começar se planejar e aplicar o ESG, é importante considerar os seguintes fatores:

  • estude bem o ESG e busque inspirações;
  • conheça as suas atividades – pontos negativos e positivos;
  • envolva toda a gestão e equipes;
  • crie políticas e dissemine a todos;
  • desenvolva práticas de sustentabilidade nos negócios;
  • crie um comitê para implementar os pilares ESG;
  • defina e monitore indicadores.

O ESG é uma mudança na cultura de uma empresa, por esse motivo, deve acontecer de maneira contínua e efetiva. Especialmente em fatores gerenciais, relacionamentos com a sociedade e foco em soluções que contribuam para evitar impactos ambientais.

Como você percebeu, saber sobre ESG o que é e como afeta suas atividades é essencial para acompanhar a evolução do mercado. Sobretudo, atuar de forma responsável, oferecer serviços e imóveis que atendam as expectativas dos clientes, principalmente da geração Z, que são antenados em questões sociais. Gostou do post? Agora que entendeu tudo sobre ESG, o que é, como funciona e afeta o seu segmento, o que acha de ler outro conteúdo relevante? Não perca tempo e veja agora mesmo quais as principais tendências do mercado imobiliário e como se preparar para elas!

Bateu aquela dúvida na matéria que você leu? Deixe nos comentários que o Time Loft responde!

Deixe seu comentário

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.