11 Lugares para visitar no Centro Histórico de Porto Alegre

Compartilhar a notícia

O centro histórico de Porto Alegre reúne história, arquitetura e cultura em uma atmosfera envolvente. Conheça 11 lugares para visitar nessa região!

12 de novembro de 2023

Autor Time Loft
Atualizado: 10 de novembro de 2023 18 min de leitura
X Lugares para visitar no Centro Histórico de Porto Alegre

Porto Alegre é uma cidade que mescla história e modernidade de forma única, especialmente em seu centro histórico. Nele, é possível encontrar marcos que contam a evolução da região e refletem a cultura diversificada do município gaúcho. 

Assim, ao explorar suas ruas de prédios centenários, você terá a chance de visualizar a trajetória de Porto Alegre, desde os primórdios. Mas para isso, é preciso saber os lugares mais interessantes para conhecer na região, não é mesmo?

Quer saber como fazer esse passeio? Neste post, você descobrirá 11 locais para visitar no centro histórico de Porto Alegre e conhecer mais sobre a cidade. 

Confira!

Onde está localizado o município de Porto Alegre?

Porto Alegre está situada na região Sul do Brasil e é a capital do estado do Rio Grande do Sul. Com uma área de cerca de 500 km², a cidade possui uma topografia diversificada, composta por morros e baixadas, que conferem um cenário único ao seu entorno.

O destaque geográfico de Porto Alegre é o Lago Guaíba, que proporciona uma sensação de amplitude à cidade e traz oportunidades de lazer e recreação. Afinal, as margens do lago são locais populares para atividades ao ar livre e momentos de contemplação da paisagem.

Além disso, sua geografia influencia o clima local, caracterizado por variações ao longo do ano. Ao viver em Porto Alegre, é possível aproveitar tanto as altas temperaturas do verão quanto o frio mais intenso do inverno.

Qual é a história de Porto Alegre?

Após saber onde fica Porto Alegre, é interessante conhecer mais sobre a história da cidade. Com esse conhecimento, você poderá entender aspectos culturais mantidos ao longo do tempo entre os moradores da capital gaúcha.

A seguir, veja os principais pontos da história de Porto Alegre!

Anúncios

Chegada dos europeus

A região onde hoje se encontra Porto Alegre já era habitada há milênios por indígenas tapuias. Porém, outros povos originários, do tronco linguístico tupi, da Amazônia, expulsaram os habitantes da região. Tempos depois, no século XVI, a chegada dos primeiros europeus trouxe mudanças significativas.

Fundação da cidade

No século XVIII, Porto Alegre começou a tomar forma como cidade. O território do Rio Grande do Sul, que pertencia legalmente aos espanhóis devido ao Tratado de Tordesilhas, gradualmente teve a presença de portugueses.

Dessa maneira, a cidade foi fundada a partir da chegada de imigrantes açorianos e, posteriormente, do fluxo de imigrantes alemães e italianos.

Desenvolvimento

O século XIX marcou o crescimento acelerado de Porto Alegre. Nessa época, o desenvolvimento econômico foi impulsionado pela produção de charque e trigo, exportados para Lisboa e outras regiões.

Durante a Revolução Farroupilha, nesse período, a cidade resistiu a cercos e batalhas que lhe renderam o título de “Mui Leal e Valorosa”.

Crescimento urbano

No período de 1865 a 1870, durante a Guerra do Paraguai, Porto Alegre desempenhou um papel estratégico no conflito, tornando-se a cidade mais próxima do teatro de operações. Por essa razão, ela recebeu investimentos em infraestrutura, como novos estaleiros e quartéis, impulsionando o crescimento econômico e urbano.

Modernização

No início do século XX, Porto Alegre buscou se tornar o cartão de visitas do Rio Grande do Sul, por meio de programas de obras públicas. Essa jornada teve como inspiração o positivismo, que foi uma corrente filosófica que previa o desenvolvimento social baseado na ordem e progresso. 

Na segunda metade do século, a cidade experimentou um crescimento urbano e populacional acelerado. Contudo, ela viu parte de sua herança arquitetônica desaparecer sob o avanço do progresso.

Assim, Porto Alegre cresceu para se tornar uma metrópole internacionalizada, rica e de alta qualidade de vida. No entanto, a cidade enfrenta desafios comuns a grandes centros urbanos, como favelização, problemas de trânsito, poluição e criminalidade.

Como é o centro histórico de Porto Alegre?

Com tantos fatos marcantes ao longo da trajetória da capital gaúcha, é possível imaginar que o centro histórico de Porto Alegre, que é a área mais antiga da cidade, tenha muitas atrações para se apreciar, certo? É nele que se encontra a sede da governança municipal e estadual.

Além disso, a área concentra estabelecimentos comerciais, instituições bancárias, museus e centros culturais. Essa é uma região que carrega uma rica história e conta com edifícios inventariados ou tombados em níveis municipal, estadual e nacional.

Apesar do histórico, o local sofreu diversas transformações com o passar do tempo. Na segunda metade do século XIX, o crescimento da cidade foi acelerado e o centro histórico teve uma fase de reorganização e modernização.

Nessa época, houve a construção de prédios públicos imponentes, estabelecimentos culturais e educacionais. Na década de 1950, o centro estava em seu auge, com a Rua da Praia sendo um dos pontos de atenção da elite, repleto de comércio, cafés, confeitarias, cinemas e restaurantes.

Entretanto, nas décadas seguintes, muitos edifícios antigos foram derrubados em prol de grandes obras de infraestrutura. Com essa decisão, houve perdas significativas do patrimônio histórico e arquitetônico da região e um declínio a partir dos anos 1960 e 1970.

A presença de camelôs e comerciantes informais se tornou descontrolada nessa fase. Logo depois, ocorreram mudanças no zoneamento urbano — e muitos órgãos administrativos estaduais e municipais foram transferidos para outras áreas da cidade.

Já a partir dos anos 1980 e 1990, diversas iniciativas de revitalização foram implementadas, com a criação dos programas de reabilitação urbana, restauração de prédios históricos e incentivos para ocupação residencial. Com isso, o Governo promoveu a qualificação do espaço urbano para valorizar a dinâmica funcional do centro histórico.

11 Lugares para visitar no centro histórico de Porto Alegre

Agora que você já conhece mais sobre o contexto da cidade de Porto Alegre e o seu centro histórico, é o momento de descobrir os 11 lugares para visitar nesse local.

A seguir, confira as principais atrações dessa região da capital gaúcha!

1. Mercado Público 

O Mercado Público de Porto Alegre é uma das atrações mais emblemáticas da cidade e uma parada obrigatória para quem visita o centro. Ele combina gastronomia, tradição e cultura, oferecendo uma experiência única aos visitantes. 

Sua construção original remonta a 1869, mas a estrutura atual foi inaugurada em 1914, após um incêndio ter destruído o edifício anterior. A mudança trouxe uma arquitetura impressionante, com um teto alto sustentado por colunas de ferro ornamentadas. 

Ao entrar no mercado, você é recebido por um ambiente vibrante e cheio de cores e aromas de temperos e comidas. Nesse cenário, as bancas estão dispostas de maneira ordenada, oferecendo uma grande variedade de produtos.

No mercado, é possível encontrar desde frutas e vegetais frescos até carnes, embutidos, laticínios, pães, doces, chocolates e muito mais. Uma das principais atrações é a Banca 40, conhecida pelo seu famoso sorvete.

Há também diversos estandes que vendem artesanato local, souvenirs e produtos típicos da região. Mais do que compras, o Mercado Público é um excelente lugar para saborear pratos típicos da culinária gaúcha.

Afinal, diversos restaurantes e bares estão localizados no mercado, como o Gambrinus, que é um dos estabelecimentos mais antigos do local — famoso pelo seu bife à milanesa. Ademais, o mercado é palco de diversos eventos ao longo do ano, incluindo festivais de comida, feiras de artesanato e celebrações culturais. 

2. Escadaria da Borges 

Conhecida como Escadaria das Quatro Estações, a Escadaria da Borges oferece uma das melhores vistas panorâmicas de Porto Alegre. Nela, é possível visualizar parte da cidade, incluindo os prédios históricos, a Rua da Praia e a paisagem urbana que se estende até o horizonte. 

Desse modo, a escadaria se tornou um ponto de encontro popular para moradores e turistas que desejam admirar o pôr do sol ou apreciar a vista durante o dia. Os artistas locais aproveitam o espaço exibindo suas obras, bem como fotógrafos captando imagens da cidade e das pessoas que a frequentam.

Uma curiosidade é que a escadaria conecta o nível da Rua da Praia — conhecida por suas lojas, restaurantes, cafés e pela atmosfera animada — com a parte mais alta da cidade. Portanto, o local não é apenas um ponto de partida para uma vista panorâmica, mas também serve de acesso a uma parte relevante da vida urbana da cidade. 

3. Casa de Cultura Mario Quintana 

A Casa de Cultura Mario Quintana é um espaço cultural dedicado à preservação da memória e obra do poeta, escritor e jornalista Mário Quintana. O memorial inclui objetos pessoais da personalidade, bem como fotografias, documentos históricos e informações sobre sua vida e carreira.

Já o prédio em que a casa cultural funciona foi o antigo Hotel Majestic, no qual Quintana morou por cerca de 40 anos. Então essa é uma oportunidade para conhecer mais sobre a vida do poeta que marcou a literatura brasileira. 

O local promove diversas atividades culturais, exposições, espetáculos, mostras de cinema, oficinas e eventos literários. Consequentemente, a variedade de eventos atrai um público diversificado, desde entusiastas da literatura até apreciadores de arte contemporânea e cultura em geral.

Na Casa de Cultura Mario Quintana você encontra um café e bistrô — chamado Santo de Casa —, que oferece um ambiente aconchegante para os visitantes desfrutarem de refeições, lanches e bebidas. Nele, há um terraço, que proporciona uma vista incrível do centro de Porto Alegre. 

Portanto, nesse memorial a cultura, a arte, a literatura e a gastronomia se encontram para celebrar a rica herança cultural do estado do Rio Grande do Sul e do Brasil.

4. Usina do Gasômetro 

Construído em 1928, o espaço onde fica a Usina do Gasômetro teve um papel crucial no fornecimento de energia elétrica à cidade por muitos anos. Entretanto, em 1974, devido às suas limitações, sua operação foi encerrada. 

A partir da década de 1990, o local passou por um processo de renovação, resultando na criação de um ambiente dedicado à arte, cultura e entretenimento. O prédio histórico foi adaptado para receber exposições de arte contemporânea, espetáculos teatrais, concertos musicais, exibições cinematográficas e eventos literários. 

Seus diversos espaços, como salas de exposições, auditórios e teatros, proporcionam um ambiente versátil para artistas locais e internacionais compartilharem suas criações com o público. No entanto, o prédio foi fechado para obras de revitalização em 2020 e, até agosto de 2023, permanecia sem receber visitas.

Ainda que não haja possibilidade de conhecer o interior do edifício, o entorno dele é um dos atrativos mais populares do centro histórico, como a prainha do rio Guaíba. Ela ganha vida aos domingos, quando a avenida ao lado é fechada para carros e as pessoas se reúnem para apreciar o pôr do sol e aproveitar o ambiente descontraído.

5. Praça Marechal Deodoro

A Praça Marechal Deodoro é um espaço público de grande significado histórico no centro de Porto Alegre, por ser uma das áreas mais antigas da capital gaúcha. Ela existe desde a fundação do município, sendo tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Rodeada por prédios que representam os principais poderes do Estado, a praça é um ponto central para a vida política da cidade e da região. Além disso, ela é palco de eventos culturais, protestos e celebrações, fazendo dela um espaço de encontro e manifestação para os cidadãos.

Vale destacar que a área é nomeada em homenagem ao marechal Deodoro da Fonseca, uma figura histórica importante no contexto de formação do país. Foi ele quem proclamou a República, em 1889, tornando-se o primeiro presidente do Brasil. 

Contudo, o local é conhecido popularmente como Praça da Matriz, devido à sua localização próxima à Catedral Metropolitana Nossa Senhora da Madre de Deus.

6. Palácio do Governo 

Inaugurado em 1901, o Palácio Piratini é a sede do Governo do estado do Rio Grande do Sul e, como você viu, está localizado perto da Praça Marechal Deodoro. O seu nome é uma referência à antiga Província Cisplatina, que fazia parte do Império do Brasil — e agora é o Uruguai. 

O palácio é usado para funções administrativas, cerimônias oficiais, reuniões e eventos políticos e culturais. Nesse sentido, a Sala de Despacho é um dos principais ambientes da construção, no qual o governador realiza reuniões e despachos com autoridades e representantes.

O projeto arquitetônico foi inspirado no estilo renascentista italiano, com influências neoclássicas. Logo, sua fachada é marcada por colunas, escadarias e elementos ornamentais que conferem uma aparência majestosa ao edifício, servindo como atração turística para o centro histórico.

Devido à sua importância histórica e cultural, o Palácio Piratini é aberto à visitação pública. Dessa maneira, cidadãos e turistas podem conhecer seus salões e aprender mais sobre o estado e sua trajetória.

7. Theatro São Pedro 

O Theatro São Pedro é um dos espaços artísticos mais antigos e tradicionais do país, e desempenha um papel fundamental na cena cultural da região Sul. Ele foi inaugurado em 1858, sendo conhecido por sua arquitetura clássica.

O espaço passou por diversas reformas e restaurações ao longo dos anos para preservar sua estrutura histórica e garantir um ambiente adequado para as apresentações. Com a revitalização, ele possui uma acústica refinada e uma estrutura que proporciona uma experiência imersiva para os espectadores. 

Além do palco principal, o São Pedro conta com uma sala de ensaios, camarins e áreas de apoio. O local é famoso por suas produções de ópera e música clássica, muitas vezes realizadas em parceria com a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre. 

O Theatro São Pedro ainda recebe peças de teatro, espetáculos de dança, concertos e outros eventos culturais. Então sua programação é diversificada e atrai um público variado, desde amantes da música clássica até entusiastas das artes cênicas.

8. Catedral Metropolitana de Porto Alegre

A Catedral Metropolitana de Porto Alegre, conhecida como Catedral Nossa Senhora Madre de Deus, é uma imponente igreja católica localizada no centro histórico de Porto Alegre. A sua construção foi iniciada em 1921, mas a sua conclusão e consagração aconteceu somente em 1986.

O projeto arquitetônico da catedral é uma mistura de estilos, incorporando elementos do neo romântico e do neogótico. Dessa forma, a sua fachada apresenta torres altas e detalhes ornamentados, enquanto o interior é grandioso, com vitrais coloridos e altares elaborados.

Uma das características mais marcantes da catedral é sua grande cúpula central, que pode ser vista de diversas partes da cidade. Outra curiosidade do local é um órgão de tubos, usado em concertos, apresentações musicais e celebrações religiosas.

Vale destacar que a Catedral Metropolitana de Porto Alegre é a sede da Arquidiocese de Porto Alegre. Por esse motivo, ela é um importante centro de atividades religiosas — incluindo missas, batismos, casamentos e outras cerimônias. 

Por conta desses fatores, a catedral é um local de interesse turístico, atraindo visitantes que desejam apreciar sua arquitetura impressionante e aprender sobre sua história religiosa. Assim, ela é um espaço para a fé, a contemplação e a apreciação artística na região.

9. Museu de Artes do Rio Grande do Sul 

Promover e preservar a arte visual são os principais objetivos da criação do Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli (MARGS). O edifício que abriga a instituição foi construído em 1913 pelo arquiteto alemão Theo Wiederspahn, mas originalmente serviu como Delegacia Fiscal. 

Porém, o espaço foi adaptado e transformado em museu, sendo inaugurado como MARGS em 1954. Desde esse ano, ele apresenta uma coleção diversificada de obras de arte, incluindo pinturas, esculturas, gravuras e fotografias, abrangendo desde o século XIX até a arte contemporânea. 

Além das exposições, o MARGS oferece uma série de atividades educativas e culturais, como palestras, cursos, workshops e oficinas. Desse modo, ele busca envolver a comunidade e promover o entendimento da arte e da cultura.

O museu também recebe eventos como lançamentos de livros, debates e encontros artísticos, contribuindo para o diálogo entre artistas, estudantes e público. Dessa maneira, o MARGS é considerado fundamental na cena cultural de Porto Alegre.

10. Centro Cultural Érico Veríssimo 

O Centro Cultural Érico Veríssimo é um espaço voltado para a cultura e arte, que homenageia o renomado escritor brasileiro que nomeia o local. Sua existência visa promover e preservar a produção artística e cultural, e celebrar o legado literário do autor.

Construído entre 1926 e 1928 pelo arquiteto letão Adolph Alfred Stern, o prédio originalmente tinha 6 andares, e foi concebido como uma possível extensão do Clube dos Caçadores. No entanto, ele nunca foi usado para esse propósito.

Em vez disso, a construção foi locada para a administração da Companhia Brasileira de Força Elétrica, que possuía a usina termelétrica da Volta do Gasômetro. Por esse motivo, o interior do prédio preserva características que indicam a finalidade original do edifício.

Entre esses elementos estão os pisos em desnível, escadas revestidas em mármore, colunas, vitrais e salões. Já a fachada apresenta padrões arquitetônicos como balcões, mísulas, estátuas, aberturas em verga reta, arcos plenos, arcos abatidos e arcos de três centros. 

Nos anos 1960, o prédio foi adquirido pela Companhia Estadual de Energia Elétrica e, em 2002, passou por uma transformação. O arquiteto Flávio Kiefer liderou o projeto de conversão do prédio em um centro cultural com foco na literatura gaúcha. 

Então foram criados espaços para salas de eventos e exposições, um auditório, uma biblioteca, o Museu da Eletricidade e o Memorial Érico Veríssimo. Ademais, o projeto incorporou materiais modernos, como aço e vidro, para marcar as intervenções nos poços de ventilação.

Nesse contexto, novos elevadores foram instalados e um átrio foi criado para integrar os diferentes pavimentos do prédio. Com essas mudanças, o edifício se transformou em um espaço cultural que celebra a literatura gaúcha e abriga exposições e eventos.

11. Farol Santander

Para completar a lista de atrações no centro histórico, o Farol Santander Porto Alegre, anteriormente conhecido como Santander Cultural, é um centro cultural mantido pelo banco que leva o seu nome. A construção do prédio que o abriga foi iniciada em 1927 e concluída em 1931, com projeto de engenharia de Hipólito Fabre.

O edifício possui uma arquitetura eclética, com elementos neoclássicos e uma planta retangular de cinco pavimentos mais subsolo. Suas fachadas são revestidas com cirex, que é um tipo de argamassa misturada com mica, e apresentam uma decoração escultural.

O interior do prédio é igualmente impressionante, com um grande salão central iluminado por uma claraboia com vitrais franceses. As colunas imponentes e as balaustradas também são características marcantes desse espaço.

A construção foi restaurada e adaptada para ser um moderno centro de arte e cultura. Desse modo, é possível encontrar exposições de arte contemporânea, shows de música popular e eventos diversos. Ademais, o subsolo foi transformado em salas de cinema, café e restaurantes.

Ao longo deste artigo, você descobriu 11 lugares no Centro Histórico de Porto Alegre que valem a pena visitar. Agora, é possível fazer uma lista mais completa para realizar o passeio pela região e aproveitar melhor essa experiência.

Bateu aquela dúvida na matéria que você leu? Deixe nos comentários que o Time Loft responde!

Tags

Deixe seu comentário

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.