A taxa de incêndio no Rio de Janeiro é obrigatória?

Compartilhar a notícia

17 de abril de 2021

Autor Time Loft
Atualizado: 24 de junho de 2022 4 min de leitura
taxa-de-incendio

Saiba mais sobre o tributo cobrado pelo Corpo de Bombeiros fluminense, quem paga e quem está isento da taxa de incêndio.

Todo ano chega o IPTU para pagar – isso é normal e estão todos acostumados. Para quem mora no estado do Rio de Janeiro, há um outro companheiro anual: a taxa de incêndio, cujo pagamento é obrigatório para imóveis residenciais e comerciais.

Neste post, você entenderá:

  • O que é e para que serve a taxa de incêndio
  • Quem deve pagar a taxa de incêndio
  • Se inquilino paga taxa de incêndio

O que é taxa de incêndio?

A taxa de incêndio é um tributo obrigatório previsto no Código Tributário do Estado do Rio de Janeiro. Trata-se de uma taxa única e paga anualmente por imóveis residenciais e não-residenciais no estado fluminense. 

Desde 1997, a taxa de incêndio é arrecadada diretamente pelo Corpo de Bombeiros e os recursos obtidos são direcionados para ele e para órgãos da Secretaria de Estado de Defesa Civil. O valor arrecadado é aplicado na compra de equipamentos e na capacitação, atualização e manutenção dos bombeiros. 

Como emitir taxa de incêndio

O recolhimento dessa cobrança se dá através do Documento de Arrecadação da Taxa de Incêndio (DATI), que é enviado por correio. A segunda via pode ser solicitada pela internet no site do Funesbom (Fundo Especial do Corpo de Bombeiros).

Quando esse valor não é pago em dia, incorrem juros. Após 120 dias de inadimplência, aquele imóvel fica sujeito a ter uma dívida ativa estadual. 

Quanto custa a taxa de incêndio?

Há 6 faixas de valores para imóveis residenciais e 8 faixas de valores para imóveis residenciais. O valor em si é determinado de acordo com a área construída (em termos de metros quadrados). Acima de R$ 500, a taxa de incêndio pode ser parcelada em até 5 vezes.

Em 2021, os valores variaram entre R$ 33,41 (imóveis com até 50 metros quadrados) e R$ 2004,51 (imóveis não residenciais com mais de 1.000 metros quadrados). 

No vídeo acima, campanha de 2021 do Fundo Especial do Corpo de Bombeiros explica o objetivo legal da cobrança da taxa de incêndio: custear os serviços dos bombeiros militares no estado do Rio de Janeiro

Existe isenção da taxa de incêndio?

Sim! Há pessoas que não precisam pagar a essa taxa: 

  • Aposentados
  • Pensionistas 
  • Portadores de deficiência física

Há também critérios para essa isenção: os isentos devem receber no máximo até 5 salários mínimos e podem ser proprietários ou locatários de apenas um imóvel residencial que tenha até 120 metros quadrados. 

E mais um aviso: essa isenção não é automática e precisa ser requerida com a apresentação de documentos.

Quem paga a taxa de incêndio: locador ou locatário?

Normalmente, tributos semelhantes do imóvel, como IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e condomínio, são quitados pelo locatário. 

Mas depende do que está escrito no contrato de aluguel, visto que a obrigação legal exige que aquela taxa de incêndio seja paga, sem que haja nada sobre quem deve pagá-la. Sempre refira-se ao contrato para tirar dúvidas dessa natureza!

A taxa de incêndio é legal?

No Rio de Janeiro, sim. Em Minas Gerais, no entanto, não é mais: uma decisão de 2020 do Supremo Tribunal Federal determinou que a lei mineira de taxa de incêndio era inconstitucional e suspendeu sua cobrança. 

Leia também: Multa condominial: o que acontece se não pagar o condomínio?

Bateu aquela dúvida na matéria que você leu? Deixe nos comentários que o Time Loft responde! Caso necessite de mais informações sobre a Loft ou sobre parcerias, entre em contato pelo e-mail imprensa@loft.com.br que responderemos você rapidinho.

Veja também

Comunicados

05 de julho de 2022

Grupo Loft reorganiza sua operação

bancada-varanda-gourmet-luminaria

Morar com estilo

05 de julho de 2022

Decoração de varanda: aprenda 7 ideias de inspiração

Fachada da estação Faria Lima, uma das 11 da linha amarela do metrô

Mercado imobiliário

04 de julho de 2022

Proximidade com metrô valoriza imóveis em São Paulo

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.