Vila Guilherme: como é morar nesse bairro de São Paulo?

Compartilhar a notícia

O bairro da Zona Norte soma excelente localização, fácil acesso e dezenas de opções de compras e serviços a um clima de cidade do interior

13 de fevereiro de 2023

Autor Time Loft
Atualizado: 30 de agosto de 2023 21 min de leitura
parque-da-juventude-vila-guilherme

Poucos lugares em São Paulo conseguem fazer os moradores esquecerem que estão dentro de uma das maiores metrópoles do mundo. A Vila Guilherme é um deles. Mesmo sendo a casa de gigantes como o complexo do Shopping Center Norte e o Terminal Rodoviário do Tietê, é só andar algumas quadras e esquecer do frenesi das centenas de milhares de pessoas que transitam por essa parte da Zona Norte: muitas de suas ruas são residenciais, arborizadas e com oferta abundante de casas, na contramão da verticalização que atinge toda a cidade.

Um dos principais condomínios de apartamentos da região é o Condomínio Dez Vila Guilherme. Localizado na Rua Henrique Felipe da Costa, 555, as unidades variam de 40 a 48 m², podendo conter até 2 quartos (sem suíte), 1 banheiro, 1 vaga de garagem e elevador e muitos dos interessados estão em busca do seu primeiro imóvel.

Entre as curiosidades do bairro, a lenda de que a Vila Guilherme era o endereço de uma casa que Dom Pedro I utilizava para se encontrar com a Marquesa de Santos é uma das mais conhecidas. Ainda que esteja comprovado que a história não passa de uma lenda, a Casa das Rosas, um enorme palacete demolido durante os anos 1958 e 1960, ganhou fama entre os moradores da região. Conheça mais sobre o bairro.

História da Vila Guilherme

A fundação do bairro da Vila Guilherme aconteceu por volta de 1912, quando Guilherme Praun adquiriu as terras de um sítio de 115 alqueires (cerca de 3 km²), que ia do Rio Tietê até a estrada da Bela Vista, e que havia pertencido ao Barão de Ramalho. Guilherme loteou as terras e deu os nomes de seus familiares e amigos às ruas e praças do novo bairro, como Maria Cândida (sua segunda esposa), Oscar da Silva e Amazonas da Silva (filhos de Guilherme), entre outros.

Guilherme Praun também instituiu diversas melhorias no bairro, como a Paróquia São Sebastião, primeira do bairro; uma delegacia de polícia; o grupo escolar de Vila Guilherme e a primeira ponte do bairro sobre o rio Tietê, que ligava a av. Guilherme e a av. Carlos de Campos. Por conta da proximidade com o rio, a região possui um solo argiloso – por isso, abrigava inúmeras olarias e portos de areia. As lagoas remanescentes da atividade extrativista foram aterradas na década de 1960.

Entre as décadas de 1930 e 1970, os bairros que hoje estão sob a administração da Subprefeitura de Vila Maria/Vila Guilherme receberam um grande número de imigrantes portugueses, e a cultura lusitana influenciou as características da região, transformando a Vila Maria, Vila Guilherme e Vila Medeiros em um dos mais importantes redutos de Portugal em São Paulo.

A Vila Guilherme teve um pico de crescimento nos anos 1950, especialmente com a chegada de portugueses que abriram diversos empreendimentos na região. Segundo a Prefeitura de São Paulo, estima-se que nessa época 70% dos moradores da região eram de Portugal. Um dos principais destaques dessa época foi a Sociedade Paulista do Trote, antigo Club Hypico de Vila Guilherme, fundado por Guilherme Praun em 1937 e vendido à Sociedade em 1944. O local passou a ser um ponto de encontro dos portugueses – e de muitos outros paulistanos. Na década de 1970, a Sociedade do Trote recebia um público de 10 mil pessoas e era frequentado pela alta sociedade paulistana. 

Hoje, o espaço foi integrado ao Parque da Vila Guilherme, formando o Parque da Vila Guilherme-Trote, que soma 200 mil m² de área verde. Todo esse desenvolvimento culminou, nos anos 1980, com a chegada de shopping centers, hipermercados e outros serviços característicos de grandes regiões. Em 20 de maio de 1992, a Vila Guilherme se tornou um distrito, com mais de 57 mil habitantes, segundo dados de 2021, e uma área de 6,9 km².

Pessoas fazem atividade física no Parque da Vila Guilherme, conhecido como Parque do Trote, em meio a arvores com prédio ao fundo
Parque da Vila Guilherme, conhecido como Parque do Trote, é um dos principais espaços ao ar livre do bairro. Crédito: David Ike/Shutterstock.com

Onde fica a Vila Guilherme?

O bairro está localizado na Zona Norte de São Paulo e faz parte da Subprefeitura de Vila Maria, junto com os bairros de Vila Medeiros e Vila Maria. Com 6,9 km² de área, se entende, de maneira simplificada, da Marginal Tietê até a Rua do Imperador, e da Avenida Nadir Dias de Figueiredo até o trecho da Avenida Cruzeiro do Sul que vai da Marginal Tietê até à Avenida Zaki Narchi – nessa área também estão localizados os principais hotéis do bairro da Vila Guilherme: Ibis Styles, HLN e Novotel.

Anúncios

Bairros próximos à Vila Guilherme

Os principais bairros próximos à Vila Guilherme de SP são Vila Maria, Carandiru e Casa Verde, com quem faz fronteira, além de Tucuruvi, Pari, Jardim Japão, Canindé, Bom Retiro, Santana, Belém e Vila Medeiros. O distrito da Vila Guilherme é subdividido nos bairros menores de Vila Guilherme, Vila Isolina Mazzei, Vila Salvador Romeu, Vila Isolina, Vila Paiva, Vila Santa Catarina, Jardim da Coroa, Vila Pizzotti, Vila Eleonore, Vila Bariri, Vila Leonor, Chácara Cuoco, Parque Velloso e Jardim da Divisa.

Mapa da Vila Guilherme

Mapa destaca localização da Vila Guilherme e bairros próximos como Vila Maria, Penha, Santana, entre outros
Mapa da localização da Vila Guilherme e bairros próximos

O que tem na Vila Guilherme?

Marcada por ser uma das regiões mais residenciais da cidade, que ainda conta com grande número de casas na Vila Guilherme, a região também abriga dezenas de opções de lazer e serviços, além de ser a casa de cinco instituições que, hoje, formam uma cidade dentro do bairro – literalmente: a Cidade Center Norte é um dos mais importantes complexos de negócios da América Latina e nasceu a partir do Shopping Center Norte, inaugurado em 1984. 

Se somaram a ela o Shopping Lar Center, primeiro shopping do país voltado ao segmento de decoração; o Expo Center Norte, centro de exposições e convenções que atende eventos de nível internacional; o Novotel São Paulo Center Norte, rede hoteleira de alto padrão; e o Instituto Center Norte, uma organização sem fins lucrativos que visa melhorar a qualidade de vida dos moradores da Zona Norte de São Paulo. A Cidade Center Norte ocupa uma área de 600.000 m² com acesso às marginais e principais rodovias da cidade, e está localizada ao lado do Terminal Rodoviário do Tietê e a apenas 13 km do Aeroporto Internacional de Guarulhos.

Para além dos negócios, o bairro ainda conta com o Parque do Trote, primeiro parque da cidade de São Paulo totalmente adaptado para pessoas com deficiência física ou mobilidade reduzida, que contribui para autonomia de muitas pessoas, assim como a acessibilidade arquitetônica. O bairro conta ainda com o 47° Cartório de Registro Civil – Subdistrito de Vila Guilherme, e campus da Universidade Bandeirante de São Paulo (UNIBAN), Universidade Nove de Julho (UNINOVE) e da Universidade Paulista (UNIP). Até o final dos anos 90, a Vila Guilherme também era a casa dos estúdios do canal de TV SBT e da extinta TV Excelsior. 

O antigo Grupo Escolar da Vila Guilherme abriga hoje a Casa de Cultura da Vila Guilherme, primeiro equipamento cultural da região administrada pela subprefeitura. O casarão que abriga o espaço, construído em 1924, tem 3.000 m² e é tombado pelo Departamento de Patrimônio Histórico.

Entrada do Expo Center Norte, um dos principais pavilhões de eventos de SP, com carros e pessoas em frente
Expo Center Norte, um dos principais pavilhões de eventos de SP, recebe feiras e eventos nacionais e internacionais. Crédito: Edinaldo Maciel/Shutterstock.com

Como ir para a Vila Guilherme?

O bairro possui acesso privilegiado: além do gigantesco Terminal Rodoviário do Tietê e de estações da Linha1-Azul do Metrô, está perto de vias importantes da cidade como a Marginal Tietê, e as Avenidas Tiradentes e do Estado. Já a Ponte da Vila Guilherme faz a ligação do bairro com o centro da cidade.

Ônibus

A primeira linha de ônibus chegou ao bairro só em 1934 – antes, os moradores tomavam condução no Pari ou no Carandiru para as demais regiões da cidade. Hoje, a realidade é outra: a Vila Guilherme é a casa do Terminal Rodoviário do Tietê, um dos maiores terminais rodoviários do Brasil. Inaugurado em 1982, atende cerca de 300 linhas de ônibus, distribuídos em 89 plataformas de embarque e desembarque. São aproximadamente 3 mil veículos que atendem à 1.033 cidades, de 21 estados brasileiros, e também da Argentina, Chile, Paraguai, Peru e Uruguai. Cerca de 90 mil usuários circulam pelos 120.000 m² de área total do terminal, que funciona 24 horas.

Do lado oposto da avenida, na Rua Marechal Odylio Denys, está o terminal de ônibus urbano da EMTU, que conta com parada para 14 linhas intermunicipais administradas pela empresa.

Para interligar o terminal com o resto da cidade, 19 linhas passam pela Avenida Cruzeiro do Sul, na altura do número 1.800 – onde está localizado o terminal. Já pela Avenida Luis Dumont Villares passam outras 16 linhas, duas delas com parada final no Shopping Center Norte (1016-10 e 1703-10). Cerca de 30 outras linhas atendem aos moradores da Vila Guilherme, 10 delas com trajeto pela Rua Chico Pontes e 15 pela Avenida Zaki Narchi – destas, 7 também tem sua parada final ao lado do shopping.

Metrô 

Integrada ao Terminal Rodoviário do Tietê está a estação Portuguesa-Tietê do Metrô, da Linha 1-Azul (Av. Cruzeiro do Sul, 1777). Inaugurada em 1975, possui 4.800 m² de área construída e capacidade de atender a 20.000 passageiros por hora. Fora dos limites do bairro, as estações Carandiru e Santana do Metrô, da mesma linha, atendem aos moradores e trabalhadores da parte mais alta do bairro.

Ciclovia

De acordo com o Mapa da Desigualdade 2022, levantamento feito pela Rede Nossa São Paulo, a Vila Guilherme é o 21º bairro com melhor acesso a infraestrutura cicloviária da cidade: 61,4% da população reside em um raio de até 300 metros de distância de ciclovias e ciclofaixas. São ao menos 15 dessas vias no distrito, boa parte interligando a Vila Guilherme com os bairros vizinhos de Santana, Bom Retiro e Vila Maria. Entre as principais destacam-se a Ciclovia Cruzeiro do Sul que, dividida em 3 trechos, soma mais de 3,2 km de extensão; a Ciclovia Ponte Vila Guilherme, com pouco mais de 1 km; e as Ciclofaixas Guilherme e Zaki Narchi, de 1,8 km cada.

Vila Guilherme é um bairro nobre?

Por conta do valor médio do metro quadrado dos imóveis na Vila Guilherme, o bairro não é considerado um bairro nobre. Em 2022, o valor do metro quadrado no local era de R$ 3,490, enquanto o bairro nobre mais caro de SP, o Jardim Europa, alcançou média de R$ 19.171 o metro quadrado em dezembro. O distrito conta com 2,1% de domicílios em favelas, em relação ao total de domicílios do bairro em 2022, segundo o Mapa da Desigualdade.

Segundo dados da Loft, um apartamento na Vila Guilherme pode custar desde R$ 200 mil até R$ 1,2 milhão. Apesar disso, o bairro possui um dos IDHs (Índice de Desenvolvimento Humano) mais elevados da cidade: 0,868 de 1. Na lista de valor de condomínio mais caro de São Paulo, levantamento feito pelo Loft Dados, o bairro é o sexto mais barato, com média de R$ 8,93 por m² em setembro/2022.

Vista aérea noturna do Terminal Rodoviário do Tietê e zonas próximas da Vila Guilherme
Vista noturna do Terminal Rodoviário do Tietê e zonas próximas: a iluminação ainda tem espaço para melhorar no bairro. Crédito: Shutterstock

A Vila Guilherme é iluminada?

Segundo dados da plataforma Observa Sampa, a Vila Guilherme contava com 3.405 lâmpadas de iluminação pública em 2021, queda de cerca de 10% em relação aos dados de 2020, quando registrou 3.794 pontos. Na Subprefeitura de Vila Maria/Vila Guilherme, o número registrado em 2021 foi de 15.501 lâmpadas – queda de 7% em relação a 2020.

A percepção é de que o bairro não é bem iluminado. De acordo com estudo feito pelo Observatório Primeira Infância em 2016, a taxa entre total de lâmpadas/km² na Vila Guilherme é de 516,5217, abaixo da média da cidade, que era de 596,34. Na época, o total de pontos de luz registrados foi de 3.564.

O bairro da Vila Guilherme é perigoso?

Em 2019, o bairro tinha o 3º mais alto coeficiente mortalidade por homicídio da cidade e liderava o homicídio de jovens de 15 a 29 anos, segundo o Mapa da Desigualdade 2022. Hoje, esses números diminuíram: em todo o ano de 2022, no 9º DP do Carandiru – um dos distritos policiais que atuam no bairro -, foram registrados apenas 3 homicídios e nenhum latrocínio. Os roubos somaram 1.631 ocorrências. Já os furtos aparecem em maior número: foram 4.788 registrados no ano, alta de quase 31% em relação a 2021. A grande movimentação de pessoas por conta do Terminal Rodoviário do Tietê e da Cidade Center Norte, especialmente no pós-pandemia, colaboram para esse tipo de crime, e a segurança é um dos fatores que influenciam na valorização de imóveis.  

Segundo os dados da Secretaria de Segurança Pública de SP, podemos avaliar que a Vila Guilherme não é considerada um bairro perigoso hoje. Outro DP da região é o 19º DP – Vila Maria, que atua na região próxima ao bairro vizinho. Em 2022, o distrito policial registrou 3 homicídios, 632 roubos e 1.066 furtos. 

O bairro conta com um Conselho Comunitário de Segurança. O Conseg da Vila Guilherme reúne um grupo de moradores da região que expõe, discute e acompanha questões comunitárias. Esses conselhos têm a presença do comandante da Polícia Militar e do delegado de polícia titular da área. 

Vila Guilherme é um bairro limpo?

A grande movimentação de pedestres, carros e veículos de transporte coletivo por conta do Terminal Tietê e do complexo do Center Norte é um desafio para a limpeza da região. A varrição das vias da Subprefeitura de Vila Maria/Vila Guilherme é de responsabilidade da Limpa SP. Segundo dados do site da empresa, a varrição manual de vias como a Av. Cruzeiro do Sul acontece todos os dias, de segunda a domingo. Em ruas mais residenciais, a limpeza ocorre 3 vezes por semana. A varrição mecânica, feita por meio de maquinário especial, acontece 3 vezes por semana nas grandes avenidas, em média. 

A região administrada pela subprefeitura também conta com 13 pontos de entrega voluntária de materiais recicláveis, 3 deles na Vila Guilherme, e 3 Ecopontos – pontos de entrega voluntária de resíduos como entulhos, móveis e reciclados. O Ecoponto da Vila Guilherme está localizado na Rua Jose Bernardo Pinto, 1.480, e funciona de segunda a sábado das 6h às 22h, e aos domingos e feriados, das 6h às 18h.

O que fazer na Vila Guilherme?

Cultura e espetáculos

Um dos principais espaços do bairro é a Casa de Cultura Vila Guilherme, também chamada de Casa de Cultura Casarão (Praça Oscar da Silva, 110). Localizado no coração do distrito e tombado pelo Patrimônio Histórico, foi construído em 1924 e conta com 3.000 m² e mais de 16 salas multiusos, além de uma ampla área externa e pátio interno. Administrado pela Secretaria Municipal de Cultura, a inauguração do espaço foi um marco no bairro já que, segundo dados do Observatório Cidadão, até 2014 não havia nenhuma casa, centro ou espaço cultural na Subprefeitura da Vila Maria/ Vila Guilherme.

O local recebe exposições e espetáculos abertos ao público e outras programações gratuitas. Além disso, os moradores da região podem fazer aulas ou desfrutar das mesas de pingue-pongue, tabuleiros de xadrez e uma pista de skate para se divertirem. Funciona de terça à sábado, das 9h às 21h, e aos domingos, das 9h às 20h.

Outra opção de lazer e cultura na região é o Sesc Santana (Avenida Luiz Dumont Villares, 579). Localizado no bairro vizinho, oferece atividades de lazer para crianças, ateliês e apresentações culturais. No verão, conta com programação especial para quem vai passar as férias na cidade. Funciona de terça a sexta, das 7h15 às 22h, aos sábados, das 10h às 20h30, e aos domingos, das 10h às 19h. Dois teatros também oferecem peças e espetáculos para o público do bairro: o Teatro APCD (Rua Voluntários da Pátria, 547), e o Teatro Alfredo Mesquita (Av. Santos Dumont, 1.770).

Dentro do Parque da Juventude, na área antes ocupada pelo Complexo Penitenciário do Carandiru, está o Museu Penitenciário Paulista (Av. Zaki Narchi, 1.207), dedicado à história do sistema penitenciário do estado de São Paulo. A ideia do espaço é preservar documentos, obras e demais objetos de valor do sistema penitenciário de SP, entre eles pinturas, esculturas e móveis produzidos nas oficinas das penitenciárias. O cotidiano dos presos é mostrado por meio de objetos como aparelhos de tatuagem e armas improvisadas.

Vista aérea da Marginal Tietê, com vias e carros nas laterais, rio ao meio e ponte da Vila Guilherme que cruza os 3
Marginal Tietê é um dos principais acessos ao bairro da Vila Guilherme. Foto: Shutterstock

Bares e restaurantes

Na lista de Bares e Restaurantes de SP, feita pelo Loft Dados, a Vila Guilherme é um dos 30 distritos com mais opções gastronômicas da cidade: são 88 no total, com uma média de 12 por km². Entre os destaques está o Bondbico (Av. Gen. Ataliba Leonel, 2493), um restaurante e choperia com 10 tipos de chopes artesanais diferentes. No cardápio, opções de carnes, frangos, saladas e menus kids – todas as quartas e sábados, o local serve a tradicional feijoada.

A comida portuguesa não podia ficar de fora – e, se misturar com futebol, ainda melhor. Essa é a aposta da Casa Do Lusa (R. Cel. Antônio Ferraz, 194), que oferece delícias de Portugal como a Alheira e os Bolinhos de Bacalhau, com opções tradicionais e com recheio, em um ambiente que homenageia o time de mesmo nome. E falando em delícias do país europeu, o pastel de nata não podia faltar: a rede de padarias portuguesas B.LEM, que possui mais de 18 unidades na cidade, uma delas no Shopping Center Norte, oferece o doce quentinho, como manda a receita tradicional, e muitas outras delícias da terrinha.

E se a vontade é provar comida mediterrânea, o novo Lelui Bar e Cozinha é o lugar certo. Com cardápio assinado pelo chef italiano Augusto Piras, uma das maiores referências em cozinha mediterrânea no Brasil, e cozinha comandada pelo chef Ed Bezerra, se destaca pelos pratos de bacalhau e polvo, além de massas e sobremesas de alta qualidade.

Parques e Praças da Vila Guilherme

A região da Vila Guilherme conta com dois importantes parques: o Parque da Juventude (Av. Cruzeiro do Sul, 2.630), que fica na divisa do bairro com os vizinhos Santana e Carandiru. O parque, uma das áreas de lazer mais importantes da cidade, foi inaugurado em 2004 e seus 240 mil m² contam com ampla área verde, instalações para práticas de esporte, áreas de lazer e entretenimento para todas as idades e espaço aberto para shows e eventos. O local abriga ainda a Biblioteca de São Paulo, com mais de 35 mil títulos, e o Acessa São Paulo, programa de inclusão digital do Governo do Estado. Outro destaque do parque é o espaço pet: o “cachorródromo” do Parque da Juventude conta uma área verde cercada onde os cães podem se divertir e socializar sem estarem presos à coleira.

O Parque da Vila Guilherme, também conhecido como Parque do Trote (Av. Nadir Dias de Figueiredo, s/n), ocupa desde 2006 o espaço da antiga Sociedade Paulista de Trote e foi o primeiro parque da cidade de São Paulo totalmente adaptado para pessoas com deficiência física ou mobilidade reduzida. Uma das atrações do local, que conta com uma área de 187 mil metros quadrados, é a Trilha dos Sentidos, com estímulos para pessoas com deficiência visual, além de pista de caminhada acessível (sem desníveis e com corrimão), piso intertravado, piso tátil e um centro de convenções para a realização de eventos. Aberto diariamente, das 5h30 às 22h.

O bairro conta ainda com 8 praças que merecem destaque: Jardim Alegre, Stelio Machado Loureiro, Mashiach Now, Luís Pizzoti, Arquimedes Memoria, Praça dos Trotadores, Oscar da Silva e a Praça Lions Clube Vila Guilherme.

Vila Guilherme tem hospital?

A região conta com o Hospital Dia (R. João Ventura Batista, 615), da Rede Hora Certa, o Hospital Nossa Senhora Candelaria (Rua Mere Amedea, 154), o Hospital e Maternidade Vila Maria (R. Dr. Edson de Melo, 357) e ainda a unidade Santana do Hospital São Camilo (Rua Voluntários da Pátria, 369). Entre os postos de atendimento públicos, destacam-se a UBS Vila Leonor (Avenida Angelina, 518) e a UBS e CEO Vila Guilherme (R. João Ventura Batista, 615), e os CERs (Centro Especializado em Reabilitação) do Carandiru e Tucuruvi.

Entre os laboratórios de análises clínicas, destacam-se o Oswaldo Cruz (Av. Morvan Dias de Figueiredo, 3.177) e o Lavoisier (Av. Guilherme Cotching, 1.580), além de 7 unidades de grandes redes de farmácias, clínicas particulares e consultórios médicos.

Escolas e faculdades da Vila Guilherme

A Vila Guilherme oferece grande número de opções para estudar no bairro em todos os níveis de ensino. Segundo o Mapa da Desigualdade 2022, o tempo médio de atendimento para vaga em creche no bairro é de 9 dias – a média na cidade é de 12,7 dias. Entre as mais de 20 opções para o ensino infantil e médio, destacam-se as escolas particulares Colégio Rocha Cardoso, o Colégio Amorim, o Colégio Dominante, e o Colégio Vila Guilherme. 

Entre as instituições públicas estão a Escola Estadual Afrânio Peixoto, a Escola Técnica Estadual (ETEC) Professor Horácio Augusto da Silveira e a Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI) Pedro Álvares Cabral. Já para cursar o ensino superior, são 3 opções de faculdades: a Universidade Bandeirante de São Paulo (UNIBAN), a Universidade Nove de Julho (UNINOVE) e a Universidade Paulista (UNIP).

Shoppings e supermercados na Vila Guilherme

Um dos maiores centros de compras está na Vila Guilherme: juntos, os Shoppings Center Norte e Lar Center (Av. Otto Baumgart, 245 e 500) somam 140 mil visitantes por dia, 400 lojas, 7 mil vagas de estacionamento e mais de 110 mil metros quadrados de área locável. O Lar Center, inaugurado em 12 de junho de 1987, foi o primeiro shopping temático de decoração e design de São Paulo. Além de lojas de móveis e decoração, conta com home centers, lojas de eletroeletrônicos e linha branca, restaurantes, lanchonetes e cafés, um complexo Cinemark, com duas salas Prime e uma XD, além de agências bancárias, uma academia e uma megaloja de artigos esportivos. As lojas e quiosques funcionam de segunda a sábado, das 10h às 21h, com fechamento opcional às 22h, e domingo e feriados, das 14h às 20h, com abertura opcional às 12h. Os espaços de alimentação funcionam todos os dias, das 11h às 23h.

Já o Shopping Center Norte, inaugurado em 7 de abril de 1984, foi o quinto shopping de São Paulo e hoje soma 164.788 m² de área total de terreno, que abrigam mais de 300 lojas, 50 opções de restaurantes e fast-foods, 5 salas de cinema e oferta variada de serviços como fraldário, bancos, lavanderias, clínicas estéticas, casas lotéricas e de câmbio, espaço de lazer e agências de viagens. As lojas e quiosques funcionam de segunda a sábado, das 10h às 22h, e domingo e feriados, das 14h às 20h, com abertura opcional às 12h. Os espaços de alimentação funcionam todos os dias, das 11h às 23h.

No fim de 2022, o shopping anunciou um projeto de expansão e revitalização, com investimento de R$ 120 milhões, que aumentará sua oferta de espaço, além de melhorias na fachada e estacionamento. As obras já estão em andamento e a primeira fase deve ser concluída em setembro de 2023.

Além do Center Norte, a Vila Guilherme conta com muitas opções de comércio e serviços. Entre as opções de compra, destacam-se unidades do Carrefour, Sonda, Atacadão, Tok & Stock, Leroy Merlin, Magazine Luíza e outras opções de comércios locais. 

Colaboração de Karen Villerva

Bateu aquela dúvida na matéria que você leu? Deixe nos comentários que o Time Loft responde!

Tags

Deixe seu comentário

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.