Quarto compartilhado com irmãos: como planejar?

Compartilhar a notícia

Com criatividade e um bom projeto é possível criar quartos compartilhados com irmãos que sejam confortáveis, funcionais, divertidos e estilosos. Há soluções para todas as metragens, diferença de gênero e idades

11 de outubro de 2022

Autor Time Loft
Atualizado: 28 de agosto de 2023 11 min de leitura
quarto-compartilhado-irmaos-duas-camas-decoracao-infantil

Ter um único quarto para acomodar dois filhos – ou até mais – não precisa ser um problema. Ao contrário, pode ser uma solução interessante para quem vive em apartamentos com dois dormitórios, por exemplo. Ou mesmo para quem dispõe de um terceiro cômodo, mas precisa usá-lo como home office ou para acomodar outra pessoa que vive no mesmo lar.

As gêmeas Gabriela e Marina Geraque, de 12 anos, têm um quarto infantil compartilhado desde bebês. Quando tinham 8 meses, os pais compraram um novo apartamento, que originalmente tinha quatro dormitórios. Além da suíte do casal, um cômodo foi configurado para ser o escritório da arquiteta Fernanda Eiras, mãe das meninas. Os outros dois quartos já haviam sido unificados em uma reforma feita pelo antigo proprietário.

Mesmo com a opção de separar os quartos em uma nova reforma, Fernanda decidiu manter as filhas juntas, no grande dormitório, para facilitar o dia a dia. “Como eram gêmeas, enquanto eu cuidava de uma no trocador, poderia ver a outra no berço, se chorasse. Para mim, naquele momento era mais prático. E como eram duas meninas eu pensei que, mesmo quando estivesse em grandes, os interesses seriam os mesmos”, conta.

Em um novo projeto, a arquiteta Fernanda reformulou o cômodo criando uma marcenaria projetada para as duas filhas. “Eu desenhei um guarda-roupas para cada uma e um armário bem grande com portas só para brinquedos. Há também uma estante para livros, sempre ao alcance das mãos”, conta.

Fernanda Eiras criou também duas escrivaninhas, pensando na individualidade de cada uma durante a idade escolar. “Achei que não daria certo dividirem a mesma escrivaninha, apesar de serem gêmeas e estarem na mesma série. Às vezes, elas estão em classes diferentes, com lições diferentes, então cada uma tem o seu cantinho para atividades”, explica a arquiteta e mãe das meninas.

O planejamento deu certo: Gabriela e Marina amam compartilhar o quarto. O projeto bem executado ajudou a preservar a individualidade de cada uma, mesmo sendo um quarto de irmãs.

A configuração do quarto de Marina e Gabriela permite que as camas fiquem lado a lado, tenha armários para cada uma das meninas, assim como duas escrivaninhas em pontos diferentes do quarto. Projeto e fotos: Fernanda Eiras

Primeiro passo: pense nas funções do quarto

Definir as principais funções para o ambiente é o primeiro passo para que o quarto compartilhado fique funcional e confortável, sugere a arquiteta Izabella Escabeche, da Decor Peti.

“Pense nas categorias: descanso, estudo, amamentação, brincadeira etc. A partir daí, será possível criar uma setorização, pensar nos móveis e no layout do espaço”, explica.

Se for um quarto pequeno para um casal de filhos ou a diferença de idade entre os irmãos for muito grande, atividades diversas estarão acontecendo ao mesmo tempo naqueles poucos metros quadrados. “Uma setorização bem planejada do espaço irá permitir escolhas certeiras, trazer otimização de cada centímetro do quarto e também conforto”, enfatiza a arquiteta.

Aproveitar a altura do quarto usando marcenaria planejada também é uma solução que funciona, principalmente quando o ambiente é pequeno e precisa incluir escrivaninha, camas, guarda-roupas e armários para brinquedos e acessórios. Planejar cada cantinho do quarto é fundamental para conseguir um espaço funcional e organizado.

Aproveite cada cantinho e a altura do quarto para criar espaços que possam ser compartilhados por irmãos e ajudar a manter o ambiente organizado. Projeto: Decor Petit. Foto: Mariana Lima

Partindo desse princípio, é possível pensar todo tipo de configuração: quarto pequeno para irmãos, quarto de irmãos com idades diferentes, quarto para casal de irmãos ou quarto compartilhado por um bebê e outro filho mais velho. Mesmo nas metragens menores, é possível criar soluções lúdicas e confortáveis.

Quarto de irmãos com idades diferentes

Quando os irmãos têm idades diferentes e gostos diferentes, a melhor estratégia para o quarto compartilhado é usar uma base neutra no mobiliário, ou nas paredes, para que o dormitório tenha uma unidade e não pareça um ambiente dividido e pequeno.

“Sugiro móveis com cor mais neutra (nos tons de branco ou cinza) ou padrão de madeira. Os pontos de cor podem aparecer nos detalhes dos móveis, acabamentos e objetos de decoração”, diz Izabella Escabeche.

A arquiteta também indica o uso de móveis multifuncionais para quartos compartilhados, como camas com armários e gavetões embutidos, nichos e baús para guardar os brinquedos. Camas mais altas, com espaço para brincadeira embaixo, também ajudam a compensar a área do quarto que foi ocupada por outra cama.

Usar camas elevadas, gavetões e nichos para brinquedos ajudam a otimizar o espaço compartilhado por irmãos. Projeto: Decor Petit. Foto: Mariana Lima

Outra estratégia é colocar nas paredes cores e elementos que conectem os interesses diferentes dos irmãos, aconselha a arquiteta. “Cores, desenhos e estampas podem fazer esse link, para manter a unidade e também para representar a preferência de cada criança.”

No espaço individual, que costuma ser próximo à cama, cada criança pode ter os objetos e os adornos que representam as suas preferências, como quadros, luminária de parede e placas. Dessa forma, o quarto terá a cara das duas crianças e, mesmo sendo um espaço compartilhado, cada filho sentirá que tem um cantinho exclusivo, trazendo uma importante “sensação de pertencimento”, segundo Izabella.

Os objetos preferidos de cada filho estão nas paredes, em cima da cama e do berço, para trazer individualidade. A composição de cores nas paredes ajuda a unificar as duas propostas. Projeto: Decor Petit. Foto: Letícia Simon
Anúncios

E quando o quarto é compartilhado com um bebê?

A chegada de um segundo filho pode demandar uma reforma ou repaginação do dormitório que já acomodava outra criança, possibilitando que vire um quarto de bebe compartilhado com o irmão. Uma boa saída é pensar em móveis com dupla função e no total aproveitamento de espaço.

Criar uma mesa de estudos com ajuste de altura, além de ser ótimo para acompanhar o crescimento da criança, também pode ajudar a adaptar o móvel para funcionar como trocador de fraldas.

Uma mesa de estudos regulável pode servir como trocador para um quarto com um bebê e irmão mais velho. Projeto: Decor Petit. Foto: Mariana Lima

Além dos projetos infantis pensados para clientes, a arquiteta Izabella também aplicou as soluções que recomenda no quarto da própria filha, Stella, que tinha 4 anos quando ganhou um irmãozinho em 2020. “A parte do bebê ficou com o berço para dormir; e a cômoda, para trocar as fraldas. Para a minha filha, mantive um espaço mais lúdico, com os brinquedos favoritos, os livros, o espelho e os objetos de decoração que remetem à memória afetiva dela”, conta a arquiteta.

A caminha de Stella, além de comportar gavetas, ganhou uma espécie de tablado na extremidade, útil para brincadeiras e também para ganhar um colchão maior quando a menina crescer. “Nesse tipo de quarto é importante ter espaço para a criança mais velha fazer as atividades diárias, e para que não se sinta deixada de lado, mas inserida na rotina com o bebê”, explica.

A cama de Stella ganhou gavetões e um tablado para brincadeiras. A cômoda serve como trocador para o irmão bebê, num colorido e misto. Projeto: Decor Petit. Foto: Mariana Lima

Para a filha mais velha, a arquiteta também um armário no estilo montessoriano para deixar as roupas e acessórios ao alcance de Stella, mantendo autonomia da criança.

“Minha maior preocupação era criar um quarto bem acolhedor para despertar na Stella um sentimento de pertencimento dentro do próprio quarto, já que antes (do irmão Lucas) o espaço era somente dela”.

O painel colorido na parede ajudou a compor um ambiente lúdico, onde a cor-de-rosa do dossel se funde a outras cores como azul, verde e amarelo, escolhidos para roupa de cama do bebê. O irmãozinho Lucas ganhou uma cômoda, que funciona tanto como espaço de trocador como local para guardar roupas.

No quarto compartilhado com o irmão bebê, Stella tem o próprio guarda-roupas no estilo montessoriano, com tudo à altura das mãos. Projeto: Decor Petit. Foto: Mariana Lima

Quarto pequeno para irmãos

Se você pensou em um beliche como solução para um dormitório compartilhado com pouca metragem, não está errado. Mas esqueça aquele beliche simples e antiquado. Há no mercado opções bem criativas e lúdicas, de diversos formatos, cores, com acessórios e itens acoplados, que dão uma roupagem moderna e estilosa para a cama para irmãos. Se puder optar por uma marcenaria planejada ou sob medida, é possível criar camas duplas ainda mais personalizadas.

Izabella cita o quarto de dois irmãos, Arthur e Davi, que ganhou um beliche exclusivo, com cama que simula um berço. “Desenhei um beliche mais moderno, com grade de proteção de acrílico incolor transparente para trazer mais leveza, e a cama inferior possui grades removíveis para acomodar o bebê com segurança e permitir que vire uma cama sem grades para ser usada quando ele estiver maior.”

O quarto pequeno ganhou um beliche com grades que simulam um berço na parte inferior e podem ser retiradas quando a criança estiver maior. Projeto: Decor Petit. Foto: Priscila Furuli

Mesmo repaginado, nem sempre o beliche é a solução escolhida pelos pais – ou a mais prática. Se as duas crianças forem pequenas, com idades próximas, pode ser perigoso colocar uma delas na cama superior do beliche.

Uma alternativa é usar duas camas em altura diferentes. “A cama mais alta pode sobrepor a cama mais baixa e ter altura aproximada de 80 centímetros, ficando mais confortável para acessar, pois é mais baixa do que uma cômoda”, explica Izabella.

Camas sobrepostas são excelentes opções para os pais que não querem o tradicional beliche. Projeto: Decor Petit. Foto: Mariana Lima

Na parte inferior da cama mais alta, é possível ter um nicho escondido com porta de correr, um espaço livre para brinquedos, gavetas para roupas e até um mini armário com rodinhas para brinquedos. Neste projeto, o nicho redondo ganhou iluminação interna e virou um espaço bem lúdico para esconder brinquedos, servindo como toca ou esconderijo das crianças.

Um nicho com porta de correr revela um esconderijo para brinquedos que pode até funcionar como casinha. Projeto: Decor Petit. Foto: Mariana Lima

Quarto compartilhado entre menino e menina

Projetar um quarto para um casal de irmãos ou para crianças do mesmo sexo pode ter o mesmo grau de dificuldade. Para a arquiteta Izabella Escabeche, o fato de um menino e uma menina dividir o mesmo cômodo nem é tão relevante na hora de projetar o ambiente. “O que importa são os gostos e as preferências de cada um. Certamente o tempo do rosa e azul já era”, brinca.

O projeto em 3D mostra um espaço com base neutra criado para um casal de irmãos, deixando o ambiente adaptável para menino e menina. Projeto: Decor Petit

Para a arquiteta, o que vale é respeitar os desejos e a individualidade de cada um, para que cada criança sinta que o quarto é tão dela quanto do irmão ou irmã. “Um quarto infantil não precisa ser um cenário que logo ficará datado e cansativo”, explica.

Para fugir dos esteriótipos, use as dicas citadas pela Izabella para criar os quartos compartilhados: base neutra, cores nos acessórios, objetos personalizados para cada filho e adereços que ajudem a criar links entre os diferentes interesses. Uma roupa de cama personalizada também é uma boa saída para manter a individualidade de cada criança que compartilha o mesmo quarto. Importante também envolver a criança no processo de escolha dos ítens que vão compor o quarto, para que se sinta parte desse processo de criação.

Colaboração de Marcela Guimarães

Bateu aquela dúvida na matéria que você leu? Deixe nos comentários que o Time Loft responde!

Tags

Deixe seu comentário

Veja também

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.