O que é consórcio, como funciona e quais os tipos?

Compartilhar a notícia

O consórcio pode ser uma modalidade interessante para diversos objetivos. Entenda o que ele é, como funciona e como escolher a melhor opção!

13 de dezembro de 2023

Autor Time Loft
Atualizado: 13 de dezembro de 2023 18 min de leitura
O que é consórcio, como funciona e quais os tipos

O consórcio tem conquistado a atenção de muitos consumidores nos últimos anos. Afinal, essa alternativa oferece uma maneira diferente e econômica de adquirir bens e serviços, sem a necessidade de recorrer a empréstimos tradicionais. 

No entanto, ela também apresenta características que podem não ser interessantes, a depender dos seus objetivos e demandas. Por essa razão, é fundamental ter em mente o que é e como funciona o consórcio.

Se você deseja entender melhor essa modalidade e tomar decisões financeiras mais conscientes, continue lendo para obter informações sobre o consórcio.

Vamos lá?

O que é consórcio? 

O consórcio é uma modalidade de compra cooperativa na qual um grupo de pessoas se reúne com o objetivo comum de adquirir um bem. Para isso, os participantes contribuem mensalmente com pagamentos para um fundo comum, geralmente administrado por uma empresa especializada. 

Dessa maneira, as contribuições formam uma espécie de poupança do grupo, que será usada para contemplar os participantes ao longo do tempo. Então, a cada mês, por meio de sorteio ou lance, um ou mais membros são contemplados e podem adquirir o bem desejado. 

Esse processo continua até que todos os participantes do grupo recebam o montante para comprar o item previsto no contrato. Então o consórcio pode ser usado para imóveis, veículos e até mesmo para viagens e outros serviços.

Como funciona essa modalidade de compra? 

Agora que você já sabe o que é o consórcio, é o momento de entender em detalhes como ele funciona. Para isso, conheça os principais eventos que envolvem essa modalidade de compra!

Anúncios

Formação do grupo

O consórcio começa com a formação do grupo de pessoas que compartilham o interesse comum de comprar um bem específico. Essa etapa é realizada pela empresa especializada, chamada de administradora, que reúne os indivíduos até fechar o número necessário de consorciados.

Contribuições mensais

Para financiar a aquisição do bem, todos os consorciados fazem contribuições mensais. O valor desses pagamentos pode variar dependendo do preço do bem desejado, do prazo do consórcio e de outros fatores determinados pelo grupo.

Contemplação

O momento mais esperado no consórcio é a contemplação, que acontece quando um ou mais consorciados são selecionados para receber uma carta de crédito. Esse é o documento que representa o valor para efetuar a compra do bem. A etapa pode ocorrer de duas maneiras: por sorteio ou por lance. 

Lance

O lance é uma opção que os consorciados têm para acelerar sua contemplação. Para esse fim, eles podem oferecer um pagamento adiantado para aumentar suas chances de serem contemplados mais rapidamente.

Nesse cenário, o valor do lance pode ser determinado de duas formas, principalmente. Uma delas é a fixa, com uma quantia predeterminada no contrato, e a outra é livre, permitindo que os consorciados definam quanto desejam ofertar. Quando há empate, é feito um sorteio entre aqueles que deram lance. 

Pagamentos continuados

Mesmo após a contemplação, o consorciado continua fazendo os pagamentos mensais. Isso deve ocorrer até quitar todo o montante do contrato ou até que o prazo do consórcio se encerre, quando todos os membros do grupo tenham sido contemplado.

Vale destacar que esses pagamentos são essenciais para manter o funcionamento do consórcio e garantir que todos tenham a oportunidade de receber a carta de crédito.

Taxas administrativas

Além das contribuições mensais, os consorciados são responsáveis por pagar taxas administrativas à empresa de consórcio que gerencia o grupo. Como não há um valor fixo desses custos, ele pode variar conforme a administradora e outros critérios.

Cancelamento

Há casos em que é possível cancelar o consórcio, porém, a opção não resulta em uma devolução imediata dos valores pagos. Na prática, o consorciado que optar pelo cancelamento não precisa mais pagar as parcelas futuras.

No entanto, o resgate das quantias pagas ocorre conforme as regras do contrato e a legislação aplicável. Normalmente, ela é realizada por sorteios periódicos, como a contemplação, e está sujeita a descontos, como a taxa por quebra de contrato. 

Em contrapartida, se já houve a contemplação e o uso da carta de crédito para adquirir o bem ou serviço desejado, não é possível realizar o cancelamento do consórcio. Nesses casos, o consorciado deve continuar a pagar as parcelas até a quitação do contrato.

Entretanto, se um consorciado foi contemplado, mas ainda não utilizou a carta de crédito, ele pode optar por realizar um procedimento para reverter a contemplação. Desse modo, ele pode solicitar o cancelamento do contrato e receber de volta os valores pagos até o momento, com descontos das taxas administrativas e eventuais penalidades.

Quais são os tipos de consórcio? 

Como você viu, o consórcio é uma modalidade de compra que permite adquirir bens e, até mesmo, serviços. Assim, os seus tipos se diferenciam conforme o que você pretende comprar com a carta de crédito.

Para melhor entendimento, confira os principais tipos de consórcio!

Consórcio de veículos

Essa modalidade permite a aquisição de veículos, tanto para uso próprio quanto para fins comerciais. Dessa forma, é possível encontrar consórcios de:

  • carro;
  • motocicleta;
  • caminhão;
  • aeronaves;
  • ônibus;
  • embarcações.

Consórcio de imóveis

Esse tipo de consórcio é ideal para quem deseja comprar, construir ou reformar propriedades, como casas, apartamentos, terrenos ou estabelecimentos comerciais.

Consórcio de serviços

Menos comum, esse tipo de consórcio possibilita a compra de serviços, como reformas, viagens, estudos no exterior ou, até mesmo, procedimentos cirúrgicos. 

Consórcio de maquinários e equipamentos

Essa modalidade é voltada para negócios que precisam adquirir maquinários e equipamentos. Por exemplo, empresas de tecnologia que necessitam de infraestrutura de TI podem utilizar esse tipo de consórcio para comprar equipamentos de rede e tecnologia de informação para suas operações.

Essa modalidade também atende a agricultores e produtores rurais. Normalmente, eles o utilizam para adquirir máquinas agrícolas e melhorar a eficiência de suas atividades.

Quais são as diferenças entre consórcio e financiamento? 

Ao entender mais sobre o consórcio, é comum surgir dúvidas sobre as diferenças entre essa forma de compra e o financiamento.

Na sequência, veja os principais pontos em que essas modalidades se divergem!

Forma de aquisição

No consórcio, a forma de aquisição é baseada na ideia de compra cooperativa, e a aquisição do bem ocorre por meio de contemplação. Vale destacar que esse processo pode levar algum tempo, dependendo das regras do grupo e da administradora do consórcio.

Já no financiamento, a forma de aquisição é realizada por meio de um crédito concedido por uma instituição financeira, como um banco. Nesse caso, o indivíduo solicita o procedimento e, se aprovado, a instituição realiza o pagamento diretamente ao vendedor.

Dessa maneira, o comprador assume a posse do bem imediatamente após a conclusão dessa etapa. Em relação ao pagamento para a instituição, ele é parcelado e inclui juros e outras taxas. Nesse cenário, os prazos e as condições do financiamento podem variar conforme as negociações.

Juros

Ao participar de um consórcio, você não precisa se preocupar com o pagamento de juros remuneratórios sobre o valor do bem que está adquirindo. No entanto, é importante observar que existem taxas administrativas cobradas pela empresa que gerencia o grupo.

Por outro lado, no financiamento, há a incidência de juros, que podem variar conforme a instituição e o histórico de crédito do cliente. Na prática, isso representa o custo adicional que você paga pela conveniência de adquirir o bem imediatamente e pagar por ele ao longo do tempo.

Garantias 

No consórcio, geralmente, não são necessárias garantias adicionais além da própria participação no grupo. Portanto, os consorciados não precisam oferecer bens ou ativos como seguro para fazer parte de um consórcio. 

Porém, em alguns casos, pode ser solicitada a presença de avalistas. Eles são pessoas que se comprometem a pagar as parcelas em caso de inadimplência do consorciado contemplado. 

Já no financiamento, a garantia é o próprio bem. Por exemplo, se a modalidade for usada para comprar uma casa ou um veículo, será feita a alienação fiduciária, sendo que o bem ficará em nome da instituição. 

Entrada

Na modalidade de financiamento, é uma prática comum que a instituição financeira exija do comprador o pagamento de uma quantia inicial, conhecida como entrada. Esse valor é, geralmente, calculado como uma porcentagem do preço total do bem a ser adquirido. 

Por exemplo, se você pretende financiar a compra de um carro, a instituição financeira pode solicitar que você pague uma entrada equivalente a 20% do valor total do veículo. Vale destacar que essa quantia é paga no momento da contratação do financiamento. 

Por outro lado, no consórcio não é necessário dispor de nenhuma quantia à vista, o que tende a facilitar a contratação. 

Planejamento financeiro

O consórcio é uma escolha apropriada para pessoas com um planejamento financeiro sólido e que podem esperar pela contemplação. Isso significa que elas estão dispostas a contribuir mensalmente para um grupo até serem contempladas e poderem adquirir o bem desejado. 

Por outro lado, o financiamento é uma opção mais adequada para quem precisa adquirir um bem imediatamente e está disposto a pagar juros adicionais por essa conveniência. Assim, ele é útil para situações em que a necessidade de uso do bem é imediata, como na compra de uma casa para moradia ou um carro para trabalho.

Quais são as vantagens de fazer um consórcio?

Além de saber as diferenças entre consórcio e financiamento, é preciso saber as vantagens de fazer essa escolha.

Entenda os benefícios que você pode ter ao optar por um consórcio!

Custo mais baixo

Uma das maiores vantagens do consórcio é a ausência de juros, operando apenas com base em taxas administrativas. Isso resulta em economia significativa a longo prazo, pois os consorciados não precisam pagar juros sobre o valor do bem ou serviço adquirido. 

Essa economia pode ser substancial, especialmente em compras de alto valor, como imóveis ou veículos de luxo.

Melhor planejamento financeiro 

O consórcio oferece uma excelente ferramenta para o planejamento financeiro. Afinal, os pagamentos mensais são conhecidos e previsíveis, o que ajuda os participantes a organizarem suas finanças com antecedência. 

Essa previsibilidade é valiosa para indivíduos e empresas, permitindo que eles ajustem seus orçamentos conforme as parcelas do consórcio. Além disso, como não há surpresas relacionadas a taxas de juros flutuantes, os consorciados podem se sentir mais seguros em relação a suas finanças.

Diversidade de bens e serviços

O consórcio oferece uma ampla gama de opções de bens e serviços, atendendo às diferentes necessidades dos consumidores. Desde a compra de automóveis, imóveis, eletrônicos até a obtenção de serviços diversos, a modalidade oferece flexibilidade na escolha do que adquirir. 

Isso permite que os participantes encontrem o tipo de consórcio que melhor se ajusta aos seus objetivos de compra.

Facilidade de participação

Participar de um consórcio costuma ser acessível para muitas pessoas, pois não exige uma quantia de entrada. Essa característica torna a modalidade uma opção viável para aqueles que desejam adquirir bens ou serviços, sem comprometer grande parte de seu capital inicial. 

Somado a isso, a divisão das parcelas ao longo do tempo facilita a incorporação das despesas do consórcio ao orçamento mensal. Como resultado, é possível ter mais previsibilidade de gastos ao longo do tempo.

Uso flexível da carta de crédito

Quando um consorciado é contemplado, ele possui certa flexibilidade na utilização da carta de crédito. Esse documento pode ser usado conforme a necessidade, seja para adquirir o bem ou serviço específico originalmente planejado ou para quitar dívidas relacionadas a esse bem. 

Essa versatilidade permite que os consorciados ajustem seus planos de acordo com suas circunstâncias financeiras. Então o consórcio tende a ser uma opção mais adaptável do que a obtenção de crédito.

Prazos flexíveis

Os consórcios podem oferecer prazos flexíveis de pagamento. Logo, os participantes têm a chance de escolher a duração do contrato que melhor se adequa às suas condições financeiras. Consequentemente, essa flexibilidade permite que os consorciados planejem sua aquisição de acordo com seu ritmo de pagamento e objetivos de compra.

Segurança e regulamentação

Os consórcios são regulamentados por órgãos governamentais, garantindo mais segurança aos participantes. Nesse cenário, as administradoras de consórcio são obrigadas a seguir regras específicas que visam proteger os interesses dos consorciados.

Essa regulamentação cria um ambiente protegido para participar de consórcios. Dessa forma, há como minimizar riscos e aumentar a confiança na modalidade.

Potencial de investimento

Para algumas pessoas, o consórcio pode ser considerado uma forma de investimento. Isso porque em algumas situações a contemplação com a carta de crédito resulta na aquisição de um ativo que valoriza ao longo do tempo. 

Por exemplo, a compra de um imóvel por meio de consórcio pode levar a ganhos de capital à medida que o valor da propriedade aumenta. Portanto, o consórcio não é apenas uma maneira de adquirir bens, mas também pode ser visto como uma estratégia de investimento a longo prazo.

Quais são as desvantagens dessa modalidade?  

O consórcio não tem apenas pontos positivos, podendo apresentar desvantagens que devem ser consideradas antes de realizar a sua escolha. Assim, é possível tomar decisões mais bem informadas, o que aumenta as possibilidades de se manter satisfeito com a sua definição.

Nesse contexto, um dos principais ônus é ter que esperar o período até ser sorteado ou conseguir dar um lance vencedor para adquirir o bem desejado. Esse fato pode ser um problema se você tiver uma necessidade urgente de possuir o item.

Outra desvantagem é que você deve pagar as parcelas mensais do consórcio, mesmo antes de ser contemplado. Além disso, embora não haja juros na modalidade, as taxas administrativas cobradas pelas administradoras podem aumentar o custo total do contrato.

Uma questão a considerar é a ausência de rendimento financeiro durante o período em que você paga as parcelas do consórcio. Enquanto seu dinheiro é empregado no consórcio, ele não gera ganhos como em investimentos financeiros tradicionais — apesar de poder haver ajustes para não haver perda do poder de compra.

Ainda, se outros participantes do consórcio deixarem de pagar suas parcelas, isso pode atrasar a contemplação de todos os membros do grupo. Como você não tem controle sobre as ações financeiras dos outros consorciados, essa questão pode afetar seu próprio cronograma de aquisição.

Também é importante notar que pode haver restrições quanto ao uso da carta de crédito. Afinal, há administradoras que limitam as opções de fornecedores ou exigem que o bem seja usado para uma finalidade específica — o que pode restringir sua flexibilidade.

Portanto, antes de optar por participar de um consórcio, é fundamental ponderar cuidadosamente essas desvantagens em relação às vantagens. Ademais, é preciso avaliar suas necessidades e objetivos financeiros e verificar se essa modalidade se encaixa em seu perfil e situação financeira específicos. 

Como escolher um consórcio? 

Se você analisou os prós e contras e optou por fazer um consórcio, também deve saber como realizar essa escolha.

A seguir, veja as principais dicas para selecionar o seu consórcio!

Defina seus objetivos

Definir seus objetivos de forma sólida é crucial para escolher o consórcio certo e garantir que ele atenda às suas necessidades financeiras e pessoais. Com as metas bem determinadas, você estará mais preparado e tende a aproveitar ao máximo os benefícios dessa modalidade de aquisição.

Avalie seu orçamento

Analise seu orçamento financeiro com cuidado e determine quanto você pode comprometer mensalmente para pagar as parcelas do consórcio. Nesse contexto, certifique-se de que essas parcelas se encaixem confortavelmente em suas finanças, considerando possíveis variações no futuro.

Escolha o tipo de consórcio

Como visto, os consórcios estão disponíveis para uma ampla variedade de bens e serviços. Portanto, identifique a modalidade que melhor atenda às suas necessidades e escolha aquela que corresponda ao seu objetivo de compra.

Pesquise administradoras

Realize uma pesquisa detalhada sobre as administradoras de consórcio disponíveis no mercado. Nesse estudo, avalie sua reputação, histórico de atendimento ao cliente e solidez financeira para entender se a instituição presta um bom serviço — aumentando suas chances de sucesso na escolha.

Verifique a regulamentação

Certifique-se de que a administradora esteja devidamente regulamentada por órgãos governamentais competentes. O cuidado garantirá que você lide com uma empresa confiável e sujeita a padrões de qualidade e segurança.

Analise o regulamento

Leia atentamente o regulamento do consórcio antes de assinar o contrato. Nessa leitura, compreenda as regras de contemplação, prazos, penalidades por atraso e todos os direitos e obrigações dos consorciados. 

Além disso, tenha certeza de estar confortável com todas as cláusulas do contrato antes de prosseguir.

Considere as taxas e custos

Avalie as taxas administrativas cobradas pela administradora, comparando os valores entre diferentes empresas para garantir que você obtenha uma relação custo-benefício adequada. Ademais, verifique se há custos adicionais, como seguro ou fundo de reserva.

Analise os prazos e contemplação

Se você tiver uma necessidade específica de adquirir o bem em um prazo determinado, verifique se o consórcio oferece uma boa perspectiva de contemplação dentro desse período. Dessa maneira, é possível ter expectativas de obter o bem quando for preciso.

Entenda as opções de lances e de uso da carta de crédito

Caso a administradora permita lances, compreenda como eles funcionam e avalie se essa é uma estratégia que você deseja utilizar. Além disso, verifique se a carta de crédito oferece flexibilidade no uso. 

Atendimento ao cliente

Avalie a qualidade do atendimento ao cliente oferecido pela administradora. Ter um canal eficaz de comunicação pode ser crucial para esclarecer dúvidas e resolver problemas durante o período do consórcio.

Busque referências

Buscar referências é uma etapa importante ao considerar a participação em um consórcio. Para tanto, você pode consultar amigos, familiares ou colegas que já tenham experiência com a modalidade, pois suas experiências e recomendações podem ser valiosas para sua tomada de decisão.

Ainda, pesquise online em fóruns e avaliações para obter uma visão mais ampla das experiências de outras pessoas. Nessa busca, observe críticas e elogios específicos relacionados às administradoras de consórcio. No entanto, esteja ciente de que as condições podem mudar ao longo do tempo, então considere isso ao avaliar as informações.

Assessoria financeira

Se você achar necessário, busque a orientação de um consultor financeiro ou contador. Um profissional pode ajudá-lo a tomar uma decisão informada com base em sua situação financeira, garantindo que sua escolha seja sustentável e alinhada com seus objetivos pessoais.

Você percebeu que o consórcio representa uma alternativa interessante para aqueles que buscam adquirir bens e serviços de forma planejada e econômica, certo? Portanto, ao considerá-lo como opção, lembre-se de realizar pesquisas detalhadas e planejar com cuidado ao decidir.

Gostou do post? Se você está pesquisando sobre outras possibilidades para a compra do imóvel, saiba que é possível usar o seu fundo de garantia (FGTS). Entenda como funciona esse processo!

Bateu aquela dúvida na matéria que você leu? Deixe nos comentários que o Time Loft responde!

Tags

Deixe seu comentário

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.